Nos últimos cinco dias não houve registro de óbito. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Piracicaba ultrapassou os 18 mil infectados pelo novo corona vírus, no último final de semana. De acordo com o boletim divulgado ontem pela Secretaria de Saúde do município, a cidade soma 18.141. numero alcançado com os 55 diagnósticos positivos – sendo 26 homens e 29 mulheres –  confirmados ontem.

Em relação aos mortos pela covid-19, a cidade voltou a apresentar redução no número de mortes. Nos últimos cinco dias não foi registrado óbitos pela doença e o total de vítimas fatais está em 375.

VACINA NA RETA FINAL

Ontem, o  Governo do Estado de São Paulo e o Instituto Butantan confirmaram que o estudo clínico da CoronaVac chegou à fase final e os resultados sairão já na primeira semana de dezembro. A previsão é que 46 milhões de doses estejam disponíveis no Brasil até janeiro de 2021.

Isso será possível porque o estudo clínico alcançou o patamar necessário para abertura da pesquisa e análise da eficácia da vacina. Até o momento, 74 voluntários se infectaram, número superior ao mínimo requerido para esta etapa, que previa ao menos 61 participantes contaminados.

Os resultados serão enviados pelo Comitê Internacional Independente na primeira semana de dezembro para que a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) analise o relatório para verificação da vacina desenvolvida pelo Butantan em parceria internacional com a biofarmacêutica Sinovac Life Science.

“A celeridade do Instituto Butantan, também por essa expertise de produção consagrada de vacinas, pode permitir que a CoronaVac seja a primeira disponível para nossa população. Só com a vacina viveremos o nosso normal. Até então, precisamos lembrar que estamos em quarentena e todo comportamento deve ser responsável, mantendo todas as regras sanitárias, distanciamento social e utilizando máscaras. Conclamamos as pessoas para colaborar com as medidas ao controle e combate da pandemia”, afirmou o Secretário de Estado da Saúde Jean Gorinchteyn.

Os testes no Brasil são coordenados desde julho pelo Butantan em 16 centros de pesquisa científica espalhados em sete estados brasileiros e no Distrito Federal. Na última semana, o primeiro lote com 120 mil doses chegou a São Paulo, tornando o Brasil o primeiro país da América Latina a receber uma vacina contra o coronavírus.

A expectativa do Governo do Estado é que o Butantan obtenha a aprovação da Anvisa ao imunizante até janeiro de 2021.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

2 × cinco =