Governador João Doria divulgou os dados atualizados sobre o Covid-19 no estado. (Divulgação)

A Secretaria de Saúde de Piracicaba informou ontem que o número de casos confirmados do novo coronavírus na cidade subiu para cinco. Já os casos suspeitos somam 102 e foram descartados, até o momento, 40 diagnósticos.


O número de óbitos relacionados a Covid-19 no Estado de São Paulo cresceu 209% em apenas cinco dias, conforme balanço da Secretaria de Estado da Saúde. No último domingo (22), o Estado registrava 22 mortes, contra 68 ocorridas ontem. Municípios da Grande São Paulo e do interior também registram óbitos.


Em apenas 24 horas foram registradas mais dez mortes, o que significa que a doença tem matado, em média, seis pessoas por dia no Estado.
No domingo apenas a Capital paulista registrava óbitos relacionados à doença. Já nesta quinta-feira, os municípios de Vargem Grande Paulista, Guarulhos, Taboão da Serra e Ribeirão Preto também contabilizam pelo menos um óbito.


Dos dez novos óbitos contabilizados ontem, quatro são homens (66, 67, 91 e 93) e seis mulheres (63, 63, 65, 77, 85 e 89). Nove são da Capital e um do município de Guarulhos. O Estado também registra 1.223 casos confirmados da doença.


De acordo com a atualização de ontem do Ministério da Saúde, o número de mortes no país chegou a 92, contra 77 registradas anteontem. O resultado significa um aumento de 18%. Em comparação com o início da semana, quando eram 25 óbitos, o número multiplicou por 3,68 vezes. A taxa de letalidade chegou ao máximo da semana, ficando em 2,7%.

Comércio da cidade já sente forte queda nas vendas; Rua do Porto está vazia desde o decreto de isolamento social. (Crédito: Amanda Vieira/JP)

COMÉRCIO ABERTO
Um grupo de comerciantes e empresários de Piracicaba fez um buzinaço ontem, em frente ao Centro Cívico. Os manifestantes pediam ao prefeito Barjas Negri (PSDB) a reabertura dos estabelecimentos comerciais.


Dois representantes foram recebidos pelo secretário de Administração, Evandro Evangelista. Eles explicaram que as medidas do decreto estadual, assinado pelo governador João Dória (PSDB), estão prejudicando a economia local e cobraram uma posição da prefeitura sobre o funcionamento dos estabelecimentos comerciais.

Evangelista explicou que não cabe ao prefeito, neste momento, interferir no funcionamento do comércio, e que Piracicaba está cumprindo as determinações das autoridades sanitárias, como o Ministério da Saúde e a Secretaria de Estado da Saúde.


Com o mesmo argumento, o presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Luiz Carlos Furtuoso, disse ontem que não há como o prefeito ou a associação desobedecer a uma legislação do Estado. “A entidade não pode incentivar o desrespeito (ao decreto) que pode gerar consequências para todos”, afirmou.


Ontem, Furtuoso protocolou um ofício na prefeitura na tentativa de amenizar os impactos sociais e econômicos nos negócios, especialmente os de micro e pequeno portes. No documento, a Acipi reivindica a prorrogação das datas de pagamento de impostos municipais.

Empresários e comerciantes fizeram manifestação, ontem, em frente à prefeitura. (Divulgação)


Entre eles, estão o adiamento para 90 dias do prazo de vencimento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), das contas de água e esgoto e do ISS (Imposto Sobre Serviço), todos referentes às empresas.


“Neste momento, é importante que as empresas tomem cuidado e façam uma planilha do que têm de contas a pagar e a receber para avaliar o impacto da pandemia nas finanças”, sugeriu.


Por outro lado, o presidente disse que a federação das associações comerciais do Estado está cobrando uma flexibilização por parte do Governo do Estado. “O governador assinou o decreto para o fechamento e agora esperamos a contrapartida dele”, acrescentou.

Zona Azul tem cobrança suspensa ao longo da quarentena. (Crédito: Amanda Vieira/JP)

REFORÇO MÉDICO
A Secretaria de Saúde de Piracicaba aguarda a chegada de 12 médicos que vão reforçar as equipes de Atenção Básica do município para o atendimento à população durante a pandemia do coronavírus.


No início do mês, o Ministério da Saúde lançou um edital com 5.811 vagas, de forma emergencial, cujos profissionais serão distribuídos em 1.864 municípios de todo o país.


A expectativa é que comecem a trabalhar em Piracicaba na segunda quinzena de abril. De acordo com Anay Ferrer e Luis Fernando Barbosa, coordenadores médicos do Departamento de Atenção Básica do município, os médicos irão atuar nas unidades de saúde que apresentam atualmente mais necessidade e vulnerabilidade.


“Após a abertura do edital, Piracicaba se inscreveu e estamos aguardando o envio desses 12 profissionais da saúde pelo Governo Federal”, afirmou Barbosa.


Para garantir a contratação, serão investidos R$ 1,2 bilhão pelo Governo Federal. O contrato com os médicos será de apenas um ano e a seleção poderá ter até cinco chamadas, caso todas as vagas não sejam ocupadas nas chamadas anteriores. Para dar mais agilidade ao processo, serão selecionados apenas médicos com CRM Brasil, pois já estão habilitados para exercer a medicina no país, podendo se deslocar imediatamente para atuação nos municípios.


A Santa Casa de Piracicaba suspendeu as visitas a pacientes hospitalizados em suas unidades de internação, bem como as cirurgias não emergenciais, conhecidas como eletivas e que podem ser reagendadas.


“A medida é preventiva e aumenta o cerco ao coronavírus, tendo em vista que o visitante fica exposto a patógenos no ambiente hospitalar, por outro lado ele também pode ser portador do vírus assintomático e levar o Covid-19 para as dependências do Hospital”, justificou o diretor clínico André Gervatoski Lourenço.


Ele revela que a iniciativa prioriza os leitos de UTI para atender aos possíveis casos de pacientes infectados pela doença e reduz sensivelmente o número de pessoas circulantes no Hospital, uma vez que 70% das mais de 40 cirurgias realizadas diariamente pela Instituição são eletivas.

DISTANCIAMENTO
Após as medidas de distanciamento social adotadas pelo Governo do Estado de São Paulo, a taxa de contágio pelo novo coronavírus caiu de quase seis pessoas para menos de duas, segundo informações da Secretaria de Saúde do Estado.


Segundo a pasta, isso significa que uma pessoa infectada transmitia o vírus para outras seis. No dia 20 de março, esse número caiu para uma a cada três. No dia 25 já era de uma para cada duas, e a curva de transmissão é descendente.


Os dados são do grupo de estudo epidemiológico do Instituto Butantan juntamente ao Centro de Contingência do Coronavírus paulista.


Também houve redução expressiva de internações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) depois de 16 de março, na região metropolitana de São Paulo.


O estudo mostra que o Brasil teve 103,7% mais crescimento em casos de coronavírus do que o Estado de São Paulo, após as medidas de restrições anunciadas pelo governo paulista.


A redução do contágio chegou a cerca de 50% no período na região metropolitana, conforme o instituto.


Em 16 de março eram 152 casos confirmados do novo coronavírus no Estado, chegando a 862 no dia 25. O crescimento foi de 467,1% no período.
Já no Brasil como um todo a curva de crescimento é maior. De 234 casos de coronavírus em 16 de março, o país registrava em 25 de março 2.433 infecções, o que representa aumento de 939,7%, mais que o dobro do registrado em São Paulo.


Desde 16 de março o Governo do Estado de São Paulo vem anunciando medidas restritivas à circulação de pessoas, com o objetivo de incentivar o isolamento social e, assim, conter a disseminação da transmissão do novo coronavírus.

LEIA MAIS:

ESTRADAS
O Governo do Estado de São Paulo criou uma força-tarefa ligada às áreas de logística e transportes para garantir o funcionamento da malha rodoviária paulista e, consequentemente, todo o sistema de escoamento de produtos durante o período de pandemia do coronavírus.


O objetivo é facilitar a circulação de mercadorias e garantir a segurança dos profissionais que trabalham nesta cadeia econômica, que não pode ser interrompida.


Entre as medidas está a criação de um canal de denúncias onde qualquer caminhoneiro poderá reclamar ou relatar uma situação ocorrida nas rodovias – como um bloqueio ou serviços essenciais fechados, por exemplo. O canal vai funcionar por meio do 0800 do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) e também por e-mail.


O Canal de Denúncias será divulgado nas redes sociais do Governo e nos mais de 400 Painéis de Mensagens Variáveis espalhados pelas rodovias paulistas, numa campanha que valoriza os caminhoneiros e torna mais fácil o contato direto com o grupo de trabalho.

REUNIÕES SUSPENSAS
A Câmara de Vereadores de Piracicaba suspendeu as reuniões ordinárias e, desde ontem, os servidores, assessores e estagiários passaram a trabalhar remotamente. A decisão foi regulamentada em reunião extraordinária, na noite de quinta-feira com a aprovação do projeto de resolução aprovado pela unanimidade dos vereadores presentes.


Na prática, a partir de ontem, as reuniões para deliberação de proposituras acontecerão após convocação extraordinária do presidente, em qualquer dia da semana.


As reuniões ordinárias, que já tinham restrição de público, foram suspensas por tempo indeterminado, e o presidente Gilmar Rotta vai convocar os vereadores, caso seja necessária alguma votação de urgência, principalmente relacionada às medidas necessárias vindas do Executivo em razão da pandemia do novo coronavírus.

Beto Silva

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezenove + dezenove =