Motoristas se reuniram com a prefeitura e cobraram maior fiscalização; Semuttran já autuou 27 vans neste ano. (foto: Divulgação)

Os condutores e proprietários de vans escolares que atuam em Piracicaba apresentaram uma série de demandas à Semuttran (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte). A categoria solicitou a intensificação da fiscalização das vans irregulares e estudos para determinar o limite de credenciamento de vans no município, já que a estimativa atual é de 230 veículos autorizados a cobrir a demanda de 10 mil alunos.

Os condutores defendem também, em caráter excepcional, a possibilidade de o motorista ser substituído, como em casos de saúde, desde que o segundo condutor esteja previamente cadastrado na Semuttran, e a permissão de van reserva para casos de manutenção. Eles solicitam ainda instalação de placas para embarque e desembarque dos veículos, com, no mínimo, duas vagas em cada unidade.

As demandas foram levadas ao secretário Jorge Akira por um grupo de vereadores nesta segunda-feira (24).

Akira informou que a Semuttran autuou 27 vans irregulares no primeiro semestre. Ele prometeu intensificar a ação nos próximos meses e, para tanto, se reunir com as secretarias municipal e estadual de Educação. Segundo o secretário, a Semuttran instalou placas de embarque e desembarque em 51 escolas estaduais e municipais. Outras oito unidades foram elencadas pelos condutores como prioritárias e Akira se comprometeu a incluí-las na lista de demandas urgentes da pasta.

Os casos excepcionais relacionados à saúde dos condutores já estão previstos em decreto municipal, sendo que cópias do documento foram entregues aos representantes da categoria. Para os casos de vans reservas em caso de manutenção, Akira sugeriu que o contato seja feito diretamente com a Semuttran para comunicação da ocorrência, além de recomendar a criação de uma associação, como forma de as pautas terem maior impacto.

Sobre a realização de estudos quanto ao limite de veículos, embora acredite existirem ressalvas na legislação federal, o secretário disse que a demanda está sendo analisada pela Procuradoria Jurídica do município.

Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

5 + 4 =