Cinco policiais civis estão afastados sob suspeita de covid-19

Nas unidades prisionais da cidade, um agente e um detento estão isolados, segundo a SAP (Amanda Vieira/JP)

Cinco policiais civis de Piracicaba estão afastados por contada de suspeitas de Covid-19. A Polícia Civil não informou as unidades de trabalho ou o estado de saúde dos servidores. O delegado do 1º Distrito Policial de Piracicaba Rinaldo Puia de Souza foi o primeiro policial positivado para a covid-19, na região do Deinter-9 (Departamento do Polícia Judiciária do Interior. Após conseguir se recuperar em casa, ele retomou as atividades.

A SSP (Secretaria de Estado de Segurança Pública) informou apenas que SSP informa que já foram investidos mais de R$ 8 milhões em equipamentos de proteção aos agentes de segurança estaduais, que correspondem a cerca de 4 milhões de itens de EPIs, e que mais de 480 mil itens de EPIs recebidos como doação, além de produtos de limpeza e higiene, foram distribuídos aos policiais paulistas. O Governo de São Paulo ampliou para todas as regiões do estado a realização de testes para diagnóstico da Covid-19 em agentes de segurança e familiares. Os exames começaram em maio, na Capital. Até o momento, foram testados mais de 74 mil policiais civis, militares, técnicos científicos e parentes que vivem na mesma residência.

O número de agentes afastados no estado de São Paulo, nas três polícias, corresponde a 1,58% do efetivo, por suspeita ou diagnóstico de Covid-19, conforme orientações da OMS, do Ministério da Saúde e do Comitê de Contingência do Coronavírus.

PRESÍDIOS

A SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) confirmou que na Penitenciária Masculina de Piracicaba, um preso, com suspeita de covid-19 foi isolado preventivamente e no CDP (Centro de Detenção Provisória) Nelson Furlan, um servidor, sem confirmação, foi afastado preventivamente.

Na região, dois servidores morreram em decorrência de covid-19. Nesta terça-feira (23), o agente Vanderlei de Almeida, 55, que trabalhava no CDP de Americana faleceu. No sábado, o agente Osmar Donizete Zeneratto, 59, que trabalhava na Penitenciária 3 de Hortolândia morreu.

A Secretaria enfatizou que todo servidor com suspeita de diagnóstico de Covid-19 está devidamente afastado sob medidas de isolamento em sua residência, conforme orientações do Comitê de Contingência do coronavírus e a Secretaria acompanha seu quadro clínico, fornecendo todo o suporte necessário para sua recuperação.

Ainda conforme a Pasta, os servidores em contato com o pacientes da doença usam mecanismos de proteção padrão, como máscaras e luvas descartáveis. Se confirmado o diagnóstico, além de continuar seguindo os procedimentos indicados, o preso será mantido em isolamento na enfermaria durante todo o período de tratamento, sendo encaminhado para tratamento hospitalar em caso de agravamento da doença.

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 + quatro =