Clientes sofrem para conseguir reembolso em voos internacionais

Em razão da pandemia de Coronavírus (Covid-19) que vem avançando rapidamente em todas as partes do planeta, inclusive no Brasil, diversas viagens de avião, tanto nacionais quanto internacionais, estão sendo adiadas e canceladas pelos usuários. Os clientes que tem viagens marcadas em território nacional e para o exterior tem enfrentado resistência das companhias áreas, principalmente as europeias com vos para Itália, país com o maior número de infectados e mortes depois da China.

Um dos afetados é o pizzaiolo Antonio Cipullo, que viajaria para o mês que vem para Parma, no nore da Itália, perto de Milão, para participar do Campionato Mondiale della Pizza (Campeonato Mundial de Pizza). Com a pandemia, o torneio foi adiado para outubro, e Antonio, que comprou sua passagem com a Alitalia, pede o reembolso do bilhete, mesmo sabendo que terá uma perda financeira. “A chance da empresa falir é muito grande, por isso optei pela devolução do dinheiro e sei que perderei bastante, já que na época paguei um câmbio muito baixo e com a alta do dólar receberei o dinheiro em reais e com isso o prejuízo será grande”, detalha Antônio.



Quem vive situação parecida é Mário García de Lima Junior, proprietário do restaurante Osteria Del Rosso, que viajaria para Panzano in Chianti, na Toscana, para um aprimoramento profissional. A viagem estava marcado para o dia 9 de março, mas o voo foi cancelado e o mesmo tem enfrentado dificuldades com a Air Europa para conseguir o reembolso. “Mesmo antes do cancelamento do voo, entrei em contato a agência na qual fiz a reserva para fazer o cancelamento, mas os mesmos foram resistentes, me pediram para remarcar para daqui a três meses, porém continuei pedindo o reembolso e eles vem negando a minha demanda. Já faz um tempo que estou nessa, buscando pelos meu direitos”, disse Mario.


Voos tem diminuído nos últimos dias (Foto: Divulgação)

As principais companhias áreas do Brasil, a Azul, latam e Gol, vem mudando suas políticas de cancelamento e remarcação de voos para evitar maiores perdas financeiras e de preferências de seus clientes.

Os clientes da Azul com voos domésticos previstos até o dia 30 de setembro tem a opção da alterar ou cancelar o voo. Eles não pagam taxa de alteração, apenas diferença tarifária se houver, desde que o novo voo seja realizado até 30 de setembro. O cancelamento também não terá taxas e os clientes ganharão um valor que será usado como crédito na Azul para compras futuras.

Na Latam, os clientes poderão reprogramar a data e/ou origem do voo uma vez sem multa, pagando apenas a diferença tarifária para voar até o dia 31 de dezembro, ou solicitar o reembolso, mas estará sujeito às regras da tarifa adquirida.

A nova regra da Gol é valida para destinos nacionais e internacionais. A solicitação de cancelamento da passagem não terá custo e manterá o valor em crédito para voos futuros, sendo que esse valor ficará disponível até um ano após a data de emissão.

Mauro Adamoli