Cobogós: De fachadas a divisor de ambientes

Conheça a versatilidade dos cobogós. /Foto: Divulgação.

Os clássicos cobogós são conhecidos pelo caráter artístico e encantador na hora de dividir ambientes internos, externos e por valorizar a luz e a ventilação natural. O nome é uma combinação das sílabas dos sobrenomes de três engenheiros que patentearam o produto em 1929, e passaram a comercializá-lo em escala industrial: Amadeu Oliveira Coimbra, Ernest Boeckmann e Antônio de Góis.

peças comumente vistas nos mais variados projetos de arquitetura e decoração em todo mundo. Além do apelo estético, os cobogós também contribuem para a iluminação natural dos ambientes e a ventilação do ar, já que são elementos vazados. A versatilidade do jogo de luzes e sombras causado pelas mais diferentes texturas e formas dos cobogós é o que mais chama atenção.

A Decortiles incorporou dois padrões de cobogós em sua coleção Camuflagem. A obra de Tarsila do Amaral, importante artista brasileira do movimento modernista, inspira o Cobogó Lua. O aspecto bruto e frio do cimento é quebrado pelas formas orgânicas esféricas, que exaltam o místico e a espiritualidade. Já o Cobogó Onda tem um olhar sobre o movimento das águas e a imponência e fluidez das ondas dos mais belos paraísos tropicais brasileiros. Os tons neutros e urbanos criam um contraste do natural com o concreto.

Onde usar os cobogós?

Uma das principais utilidades é nas divisões de ambientes. Em vez de paredes fechadas, os cobogós dão suavidade, repartem sem isolar e, ainda por cima, imprimem cores e formas inspiradoras. A recomendação do uso dos produtos é apenas para alvenaria de fechamento, ou seja, não deve ser utilizado como base de apoio, pois possuem resistência estrutural diferente da alvenaria comum.

Quais os cuidados na hora da aplicação?

Na hora da aplicação é importante certificar-se de que o vão a ser preenchido com o cobogó tem as dimensões adequadas, pois as peças não podem ser cortadas. O elemento requer impermeabilização após a instalação para que se crie uma camada de proteção que facilita a limpeza e manutenção do revestimento. Recomenda-se o rejuntamento para evitar manchas.

Como limpar o cobogó?

A limpeza desse revestimento é bem simples: somente água e detergente neutro.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

10 − quatro =