Com 320 obras, Salão de Humor de Piracicaba terá edição online

Covid-19 deve povoar temas de trabalhos, afirma Paulo Bonfá. (Foto: Divulgação)

A exaustiva – porém necessária – quarentena, enquanto perdura a crise da covid-19, tende à realização exclusivamente online da 47º Salão Internacional de Humor de Piracicaba, que acontece de 29 de agosto a 29 de setembro, a princípio somente com visita virtual em salaointernacionaldehumor.com.br. O júri de seleção, segundo o presidente do Cedhu (Centro Nacional de Documentação e Pesquisa do Humor Gráfico), Erasmo Spadotto, cada um em sua casa deve concluir a escolha das 320 obras que serão expostas até a próxima segunda-feira (3) e, em seguida, será a vez do juri de premiação se encontrar virtualmente para definir o grande vencedor desta inusitada edição 2020.


O júri de seleção deste ano é Zé Roberto Graúna (artista gráfico) J. Bosco (cartunista) Fred Ozanan (designer gráfico), Helen Sacconi (jornalista), Edu Grosso (artista visual e gráfico), Luccas Longo (artista gráfico) e Maria Luziano (ilustradora). O momento pede ineditismo até mesmo na dinâmica da escolha das obras, como conta Spadotto. “Cada categoria está com especialista”.

Neste ano, os trabalhos recebidos foram produzidos por 392 artistas de 48 países como Afeganistão, Alemanha, Bélgica, Brasil, China, Colômbia, Egito, França, Irã, Israel, Japão, Noruega, Turquia, Ucrânia e outros. Entre as obras originais e virtuais foram inscritos 438 caricaturas, 661 cartuns, 548 charges, 295 tiras, 29 esculturas, além de 343 trabalhos na temática Comunicação e 263 na categoria Saúde, totalizando 2.577 trabalhos inscritos.

Spadotto, assim como Rosângela Camolese, secretária da SemacTur (Secretaria da Ação Cultural e Turismo), deixam em aberto uma mostra presencial, mas isso dependente, principalmente, de Piracicaba melhorar os índices de casos positivados e de mortalidade pela covi-19. “Nosso objetivo é programar uma mostra também presencial, para que, assim que a pandemia passar, os amantes do humor possam desfrutar dessa linguagem artística que continua a cumprir o seu papel de fazer rir e provocar a reflexão”, explica Rosângela.


Para o presidente do 47º Salão de Humor, o humorista Paulo Bonfá, a covid-19 certamente aparecerá como tema de diversos trabalhos. “Uma das vocações do Salão é refletir o contexto histórico e fazer isso um registro. É claro que uma pandemia, de desdobramentos imprevisíveis, e que afeta o planeta, estará presente nas criações e devem ter influenciado cada um dos desenhistas”, conta em entrevista ao Jornal de Piracicaba.

Não haverá censura, ele garante, mas o juri trabalhará com critérios. “Entendo que não haverá preconceito. Os humoristas são livres para se expressarem e, se forem trabalhos divertidos e tecnicamente bem executados, que chamem a atenão, tem totala chance de seguir a diante. Nada contra ou a favor de quem usou a covid-19 como tema de sua criação”, crava Bonfá.

O Salão Internacional de Humor é realizado pela Prefeitura de Piracicaba, por meio da SemacTur e do Cedhu.

Erick Tedesco

[email protected]