Com alta de casos, estudantes realizam Enem neste domingo

Gabriel quer cursar agronomia e espera o mesmo cuidado da Fuvest no Enem | Foto: Claudinho Coradini/JP

A nova onda da covid-19 castiga o País e, em meio a esse cenário, milhares de estudantes devem realizar o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) 2020 neste domingo (17) e no próximo, 24. As provas já foram adiadas para janeiro devido à pandemia. Ações correm na justiça pedindo novo adiamento às vésperas do exame. Esse contexto de pandemia causa insegurança tanto em relação ao contágio quanto à preparação para a prova, uma vez que as aulas presenciais foram suspensas, o que causou maior desigualdade de acesso à educação no País.


O Inep (Instituto Nacional de Estudo e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável por aplicar o Enem, determinou algumas medidas de biossegurança para a realização a edição. Porém o estudante Tiago Fainer, 18, avalia que elas não foram amplamente divulgadas “e nem saberemos se serão eficazes, isso me dá medo”, afirma. Ele lembra que os estudantes escolherem maio deste ano para realizar as provas em pesquisa sobre o adiamento do exame realizada no ano passado. “Na minha opinião, era o final de maio, onde – espero eu – tenha uma parte da população vacinada e a diminuição dos casos de covid-19”, pontua.


Segundo o Inep, o uso da máscara será obrigatório para entrar e permanecer no local das provas. Os portões vão ser abertos às 11h30, no horário de Brasília, 30 minutos antes do previsto nos editais. Deve haver higienização das mãos dos participantes com álcool em gel antes de entrar na sala de provas, onde estão previstos distanciamento social, ventilação e higienização antes da aplicação.

LEIA MAIS:


De acordo com o Instituto, as pessoas do grupo de risco vão fazer as provas em salas com 25% da capacidade e aqueles identificados como mais vulneráveis, em salas com até 12 pessoas. Inscritos que estejam com covid-19, sintomas da doença ou acometidos de outras doenças infectocontagiosas não devem comparecer. Para análise de reaplicação das provas, devem apresentar documento legível com informações pessoais, sobre a doença e do profissional responsável pela análise clínica. Sintomas ou diagnóstico na véspera ou no dia da prova devem ser avisados via Página do Participante e Central de Atendimento: 0800 616161.


Com a experiência no vestibular para a USP (Universidade de São Paulo), o estudante Gabriel Banassi Braz dos Santos, 19, afirma que se sente seguro para realizar o Enem, porém espera os mesmos cuidados que encontrou na seleção da universidade. “Muito embora eu esteja esperando esse mesmo cuidado no Enem, não sei se posso contar muito com isso, afinal dentro dos vestibulares o Enem é, para mim, o mais desorganizado”, afirma.


Lembrando da preparação para os exames, Gabriel conta que, ao fazer as avaliações para concorrer a uma vaga no curso de agronomia na Esalq/USP, sentiu o impacto da suspensão das aulas presenciais, mesmo tendo tido a oportunidade de fazer cursinho preparatório na cidade e outro online. “Senti que não estava tão habituado a lidar com aquelas questões, mesmo estudando e fazendo lista de exercício por conta própria, é diferente”, conta.


Tiago, que quer cursar ciências sociais, diz que sente-se privilegiado por ter internet e computador em casa e que, em meio a grande desigualdade que existe na escola pública, sua preparação “foi um pouco ‘melhor’ mediante a pandemia que vivemos”, comenta.

Andressa Mota

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × quatro =