Tenta Covid-19 registra diariamente grande movimentação | Foto: Amanda Vieira/JP

Piracicaba segue na fase 1 (Vermelha) do Plano São Paulo de enfrentamento à covid-19 e permanece com apenas as atividades essenciais disponíveis. A decisão foi anunciada ontem pelo Governo do Estado. A cidade chegou até a fase 2 (Laranja),, mas por decisão do prefeito Barjas Negri (PSDB) atendendo às recomendações do grupo de trabalho do coronavírus na cidade, se manteve na fase 1.

Com o anúncio do governo do Estado na última semana de que a região regrediu para fase vermelha novamente, o grupo entendeu que a decisão antecipada tomada foi correta, apesar da expectativa e a necessidade do comércio e de outras atividades não essenciais de reabertura.

O prefeito disse que tomou a decisão correta ao ouvir o grupo e principalmente o secretário municipal de Saúde, Pedro Mello. “Resolvemos enfrentar as resistências e permanecer com o comércio fechado”, afirmou o tucano.

Pedro Mello, apontou a evolução da doença em números, que continua evoluindo num patamar ‘estável alto’.
O titular da saúde disse ainda que grande parte da população não tem feito o isolamento social, o que provoca o aumento de pessoas contaminadas. Ele ainda comentou que a cidade, usando a boa articulação do prefeito, vem trabalhando para ampliar o número de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e de enfermaria.

COVID-19 EM PIRACICABA
De acordo com os dados divulgados ontem pela prefeitura, Piracicaba aumentou em mais quatro o número de mortos e em 161 a quantidade de infectados, fechando a semana com 172 óbitos e 6.598 casos confirmados da doença.

As vítimas fatais são três homens de 57, 60 e 77 anos e uma mulher de 77anos. Os infectados são 72 homens e 89 mulheres.

ISOLAMENTO SOCIAL 
O prefeito Barjas Negri reiterou ontem a importância das medidas de precaução contra o coronavírus, como o uso de máscaras de proteção facial, higiene das mãos e, principalmente, o distanciamento social. “Pedimos novamente que as pessoas fiquem em casa e que só saiam em caso de necessidade. Só assim poderemos voltar, gradativamente, à normalidade”, afirmou.

ATÉ 10 DE AGOSTO
Sem regressão de fase em nenhuma região e com quarentena prorrogada até o dia 10 de agosto, o Governo do Estado de São Paulo anunciou ontem a oitava atualização do Plano São Paulo de retomada econômica e enfrentamento do coronavírus.

O controle rigoroso de indicadores de saúde e reabertura gradual de atividades não essenciais viabilizou avanço das regiões de Araçatuba e Campinas da etapa vermelha para a laranja, e de Araraquara da laranja para a amarela.

“É uma ótima notícia para 6 milhões de pessoas que vivem nestas regiões, mas não é notícia para ser celebrada. É para ser compreendida com prudência e cuidado, como sempre recomendamos nas quarentenas do Plano São Paulo. Vale lembrar também que, nesta oitava requalificação, nós não tivemos nenhuma região que regrediu para uma fase mais restritiva”, avaliou o governador João Doria (PSDB).

Das 17 áreas de DRSs (Departamentos Regionais de Saúde) estabelecidas no Plano São Paulo, apenas três permanecem na etapa vermelha, com proibição ao atendimento presencial de comércios e serviços não essenciais.

A ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes covid-19 nas regiões de Franca (82,5%), Piracicaba (84,8%) e Ribeirão Preto (91,4%) é considerada preocupante e exige a continuidade das restrições.

Segundo o governo, a maior parte do território paulista está na fase laranja, que permite funcionamento com 20% da capacidade de público em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por três.

Atualmente, essa etapa abrange as regiões de Araçatuba, Barretos, Bauru, Campinas, Marília, Presidente Prudente, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba, Taubaté e a sub-região Norte da Grande São Paulo.
Já a flexibilização intermediária da etapa amarela abrange as regiões de Araraquara, Baixada Santista e Registro, além da capital e sub-regiões Leste, Oeste, Sul e Sudeste da Grande São Paulo. Ela permite reabrir bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade, além de academias com 30% de vagas e expediente limitado a seis horas por dia.

A permanência por 28 dias seguidos na fase amarela também permite a reabertura, com limitações, de espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos. Assim, as prefeituras da capital e os municípios das regiões do ABC e de Taboão da Serra poderão autorizar a retomada a partir da próxima segunda (27), após aprovação de protocolos sanitários específicos.

EVOLUÇÃO
De acordo com os indicadores hospitalares e de evolução da pandemia nos últimos sete dias, o Governo de São Paulo verificou estabilidade com viés de desaceleração em relação à medição anterior.

A média atual de ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes graves de COVID-19 é de 66,1%, com 20,4 vagas por 100 mil habitantes. O acompanhamento estatístico da pandemia mostrou queda de 5% na variação de casos confirmados e de 4% nas internações de pacientes com COVID-19. O número de mortes também teve redução de 3% na atual classificação.

Para o Governador, os índices demonstram acerto da estratégia do Plano São Paulo, mas disse que é hora de todos redobrarem esforços para proteção da saúde pública.

“Nós não podemos relaxar ou descuidar. Temos que executar o plano com atenção e cuidado. São bons sinais que mostram fortalecimento das medidas que temos adotado, com apoio de prefeitos e prefeitas do estado”, disse. Doria também pediu que a população siga com rigor as medidas pessoais de proteção, como uso de máscaras, distanciamento social e higienização frequente das mãos.

CASA DO BOM MENINO
Dos 120 funcionários que atuam na Casa do Bom Menino em Piracicaba, dez testaram positivo para o novo coronavírus, confirmou ontem o presidente da instituição, Guilherme Monaco de Mello. Segundo ele, cinco adolescentes assistidos também estão infectados.

O presidente disse que ontem houve uma reunião on-line com os funcionários que tratam diretamente com os adolescentes, coordenadores e profissionais da Secretaria de Saúde do município que acompanham a Casa.
“na reunião o nosso pessoal recebeu orientações de como proceder nessa situação em que aumentou o numero de pessoas diagnosticadas com o vírus”, explicou.

Segundo Mello nenhum dos funcionários apresentou sintomas da doença e a orientação da Secretaria de Saúde é que eles continuem trabalhando para que o serviço prestado aos adolescentes não sofra interrupção.
“É a casa das crianças, é onde elas e os adolescentes moram e por isso não pode haver interrupção, então a orientação é para que eles continuem trabalhando aqueles que puderem, evitem de voltar para casa”, afirmou.

Para isso, explicou o presidente, a instituição vai instalar os funcionários em hotéis. O presidente disse que para ISO, conta com o apoio da Smads (secretaria Municipal de Desenvolvimento Social), que teria dado carta branca para a contratação dos serviços de hotelaria para os funcionários.

O presidente disse que não houve fechamento de unidades da Casa do Bom Menino e que no início da pandemia, uma das casas com quatro adolescentes foram remanejadas para outras unidades mas já retornaram.

Mello disse que recentemente, por falta de funcionários, oito crianças de uma unidade foram transferidas para outra casa, mas a mudança durou apenas um dia e a instituição segue com todas as unidades em funcionamento.

COVID-19 NO ESTADO
Nesta sexta-feira o Estado de São Paulo registrou 21.206 óbitos e 463.218 casos confirmados do novo coronavírus.

Entre o total de casos diagnosticados de covid-19, 311.502 pessoas estão recuperadas, sendo que 62.731 foram internadas e tiveram alta hospitalar. 
As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 63,6% na Grande São Paulo e 66,1% no Estado. O número de pacientes internados é de 14.293, sendo 8.477 em enfermaria e 5.816 em unidades de terapia intensiva, conforme dados das 10h30 de hoje.

Ontem, dos 645 municípios, houve pelo menos uma pessoa infectada em 637 cidades, sendo 448 com um ou mais óbitos.

O número de novos casos confirmados apresentados desde quarta-feira (22) incluem dados cadastrados pelos municípios no sistema oficial de notificação de casos leves de covid-19, o E-SUS do Ministério da Saúde.

Beto Silva ([email protected])

1 COMENTÁRIO

  1. Se esse prefeito seguisse o exemplo do prefeito de Porto Feliz, já estaríamos na fase verde! Mas como ele acomunado com o Governador Genocida idiotoria, pelo jeito vamos ficar um bom tempo ainda na fase vermelha.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

dezoito + 5 =