Com baixa adesão, apenas 11 projetos são contemplados pelo Fundo de Apoio à Cultura

Muitos artistas declinaram do programa devido à burocracia e o baixo orçamento do edital (Foto: Amanda Vieira/JP)

No início de abril, a SemacTur (Secretaria Municipal da Ação Cultural e Turismo) abriu o Edital FAC (Fundo de Apoio à Cultura) 2020 para projetos nas áreas de artes cênicas (teatro, dança, circo/mímica) e música (erudita, instrumental, popular, canto). O financiamento contemplaria 28 projetos, no entanto, apenas 14 foram enviados e, destes, o número de aprovados pelo ComCult (Comissão de Seleção do Conselho Municipal de Política Cultural) cai para 11.

Desde que anunciado pela pasta, o FAC recebeu diversas críticas de parte da classe artística piracicabana, que declinou ao edital devido ao baixo orçamento (R$ 1.500) para, segundo expressaram reclamaram, mesma burocracia com documentações e contabilidade de editais anteriores, que chegavam a até R$ 25 mil.




Questionada sobre as exigências do edital, a SemacTur, por meio de sua assessoria de imprensa, destacou que, independente do valor do financiamento, “as exigências são sempre as mesmas por tratar-se da liberação de recursos públicos, atendendo aos dispositivos legais e administrativos, tanto na esfera municipal, quanto na estadual”. Vale ressalta, também, que se trata de um auxílio diferenciado devido à crise da pandemia.

Quanto aos aprovados, a pasta determina que sejam realizados entre os meses de julho e dezembro deste ano, no entanto, este período pode ser alterado caso a pandemia da covid-19 não possibilite atividades culturais ainda em 2020.

Os aprovados na área de artes cênicas são: Agruras (Renata Gurgel de Oliveira), Aquário Negro (Giovani Bruno Magalhães Costa), As Mulheres de Shakespeare – Poemando enquanto o ônibus não vem (Magna Eliez Silva), Reciclaagentes (André Luis Martins), O Juiz de Paz na Roça (Wellington Fernando de Campos Camargo) e Peter Pan – A busca pelo tesouro perdido (Cristiane Sbrissa).

Já na área de música, receberão o financiamento Infinita Viagem (Associação Cultural Arte), Som Brasa Session (Plínio Cleodolphi Bortoleto), Bossa Nova 60 Anos (Mário Américo Furtado de Aquino; Trama (Mario Adimir Patreze Júnior) e Caipira Jazz Duo – Tocando Chão (Matheus Tagliatti Siguin).

Na semana passada, a SemacTur anunciou mais um financiamento para a cultura local. Dessa vez, o FAC contemplará – com R$ 1.500 cada – projetos de artes visuais, audiovisuais, literatura, cultura popular e memória cultural, proteção e promoção das culturas negras e promoção das manifestações culturais com temática LGBT. As inscrições seguem até 20 de maio pelo e-mail [email protected]

A ficha de inscrição está disponível no site. Além dos FACs, a SemacTur revela que já estuda como dará continuidade à oferta cultural em Piracicaba na pós-pandemia. “Estudamos alternativas para o lançamento de novos editais sobre mostras virtuais. Além disso, buscamos possibilidades para dar continuidade às atividades culturais após esse período”, respondeu em nota.

Erick Tedesco