Com baixa adesão, casos de dengue aumentam 4 vezes em um ano

Foto: Claudinho Coradini/JP

Vigilância Epidemiológica registrou neste ano 4.958 confirmações e há dois casos em investigação

A baixa adesão da população à campanha de combate à dengue contribuiu para que os casos da doença aumentassem quase quatro vezes em Piracicaba. De acordo com os dados da Secretaria de Saúde do município, de janeiro a julho de 2020 foram 4.539 notificações, com 1.291 confirmações, enquanto este ano, de janeiro a 16 de julho, a Vigilância Epidemiológica registrou 12.066 notificações, com 4.958 confirmações e dois casos em investigação. Não houve mortes por dengue nos dois períodos.

Preocupado com a resistência da população, o PMCA (Programa Municipal de Combate ao Aedes), tem reforçado a importância do recebimento dos agentes do programa nas residências nas ações que integram o trabalho conhecido como ‘porta-a-porta’.

O coordenador Sebastião Amaral Campos, o Tom, disse que a dificuldade se deve a situações em que criminosos se passam por agentes para assaltar residências. “Na semana passada fomos informados que indivíduos vestidos de agentes de saúde, que controlam a dengue no município de Sinop-MT invadiram residências e enganaram alguns moradores. Com a chegada desta notícia a cidade, percebemos novamente um aumento na recusa do recebimento dos agentes nas residências e, assim, impedindo que nosso trabalho seja realizado de forma adequada”, informou.

Segundo ele, o PMCA, realizou algumas mudanças de estratégias no sentido de, ao menos, amenizar a situação. O coordenador destacou que as equipes de controle sempre estão em grupos, usam crachás, além de estar sempre acompanhados de veículos da empresa contratada para realização de controle da dengue, bem como utilizando uniformes.

“Além disso, temos um carro de som que diariamente acompanha as equipes orientando os moradores que os agentes estarão no seu bairro naquele momento e que permitam a entrada deles em suas casas. Com esta ação, temos conseguido bom sucesso no trabalho ‘porta-a-porta’, mas com a pandemia, este ano parece não ter sido suficiente”, afirmou. Tom disse que, caso o morador ainda tenha dúvidas sobre a localização dos agentes, basta entrar em contato com o PMCA pelo telefone 3427-3351 ou SIP 156. “Esses canais têm as informações sobre onde estão as equipes e podem confirmá-las ao cidadão”, explicou.

“As equipes da Secretaria de Saúde estão sempre atentas e trabalhando para redução dos casos de dengue na cidade. O mais importante, deixar que nossos agentes vistoriem e ajudem neste controle dos criadouros nas residências”, destacou o secretário de Saúde, Filemon Silvano.

O Aedes aegypti é o mosquito transmissor da dengue. É preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas. A dengue é uma doença perigosa que pode levar a pessoa à morte.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três + 15 =