Com quase 50% de perdas de água, Piracicaba ocupa 6º lugar em ranking de saneamento

Cidade subiu duas posiçoes no ranking de tratamento de esgoto (Credito: Claudinho Coradini/JP)

Os indicadores de acesso à água e esgotamento sanitário divulgados ontem pelo Ranking do Saneamento Básico baseado nos maiores municípios do Brasil, apontam uma estagnação no país. No ranking, Piracicaba subiu duas posições no estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil.


O ranking leva em conta as 100 maiores cidades brasileiras com a melhor qualidade de serviço de saneamento oferecido à população. Piracicaba ocupava o 8º lugar no Ranking do ano passado e saltou para o 6º lugar em 2020.


Para a realização do estudo, o instituto se baseia nos dados de 2018 do SNIS (Sistema Nacional de Informação sobre Saneamento), da Secretaria Nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional.
O Semae (Serviço Municipal de Água e Esgoto) recebeu nota máxima de vários indicadores, como atendimento de água, atendimento de esgoto, esgoto tratado por água consumida, novas ligações de água e novas ligações de esgoto.


Em atendimento total de esgoto, Piracicaba lidera com 100%. Em nota, o presidente da autarquia, José Rubens Françoso, informou estar satisfeito com a colocação do município. “Sabemos que trilhamos o caminho certo da universalização, todo o mérito se deve aos nossos servidores e parceiros que não poupam esforços na execução das suas funções”, afirmou.

PERDAS
Apesar de receber pontuação alta em alguns indicadores, Piracicaba ainda não encontrou solução para reduzir os altos índices de perdas de água na distribuição.


De acordo com o relatório, em 2017, o percentual estava em 48,85%, já em 2018, o índice chegou a 49,64%, conforme aponta o estudo.


As informações compiladas pelo sistema possuem dois anos de defasagem, por isso os dados utilizados no documento são referentes ao ano de 2018.
Para compor o ranking, o Instituto Trata Brasil considera várias informações fornecidas pelas operadoras de saneamento presentes em cada um dos municípios brasileiros.


Entre as variáveis estudadas estão população, fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, investimentos e perdas de água.


O Semae informou que continua buscando melhorarias para os serviços e tem investido na capacitação dos servidores, concurso para aumentar o quadro de funcionários, aquisição de novos equipamentos, renovação da frota de veículos para serviços externos e licitando obras de instalação de novas adutoras.


Em 2019, a autarquia assinou contrato para instalação de mais 9,9 quilômetros de adutoras.

Beto Silva
[email protected]