Preocupação dos moradores é de contaminação da água (Foto: Amanda Vieira/JP)

O Comdema (Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente) recebeu na última sexta-feira (17) denúncia de que a empresa Hembrafer, do segmento de soluções em aço, não retirou do barranco próximo ao Córrego Fonte da Vida, no bairro Santa Rosa, todo cimento que caiu no local devido à carreta da empresa ter perdido freio na última terça-feira (14) e caído no barranco. A preocupação dos moradores é da possível contaminação da água com o cimento e também com outros resíduos, como ripas de madeira, que continuam no córrego. A carreta continha aproximadamente 3 toneladas de cimento.

O Comdema informou que vai discutir a denúncia em plenária e tomar providências cabíveis, como encaminhar ofício aos órgãos competentes, como a Sedema (Secretaria Municipal de Defesa do Meio Ambiente) e a Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).

A entidade Protetora do Bairro Santa Rosa, que atua na defesa do meio ambiente, também recebeu reclamações de moradores de que o cimento não tinha sido retirado completamente quando a empresa tirou o caminhão do local. Além disso, os moradores relataram à entidade que a empresa causa impacto à vizinhança, como barulho, obstrução de via e ambiental.

A entidade constatou ainda, no trecho em que a carreta caiu, odor de produto químico e mancha de óleo no córrego.

Questionada, a Sedema informou que tomou conhecimento do caso por meio da imprensa e que a partir disso “acionou alguns de seus técnicos para fazerem uma verificação/avaliação do caso no local”, disse em nota.

A pasta informou também que contatou a Cetesb, “que informou que vai verificar o ocorrido”. “A Sedema salienta que, assim que tiver uma avaliação mais precisa sobre o caso, tomará as medidas necessárias para verificar as responsabilidades do causador do acidente e também para evitar qualquer tipo de contaminação do ambiente”, disse.

À reportagem, o gerente administrativo Fernando Garcia informou que, na próxima semana, a empresa “vai verificar o que aconteceu e tomar as providências necessárias”.

Garcia informou ainda que a carreta só foi retirada do barranco no dia seguinte ao acidente devido à dificuldade da seguradora, uma vez que o local é muito ingrime. “Nós não estávamos sabendo da denúncia, ficamos sabendo hoje [sexta-feira]. […] Creio que na próxima semana a gente vai levantar o que houve e tomar as medidas necessárias,” finaliza.

Andressa Mota

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

quinze + onze =