Objetivo do projeto é orientar as instituições para que os encaminhamentos sejam feitos corretamente em cada caso. (Foto: Divulgação)

A comissão responsável pela elaboração de um fluxograma para atendimento das mulheres em situação de violência na cidade, se reuniu, nesta quinta-feira (11), na sede da Smads (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social), para apresentação dos fluxogramas individuais elaborados pelas instituições que realizam trabalhos relacionados às mulheres em Piracicaba.

O objetivo da comissão, formada após a última reunião da Rede de Atendimento e Proteção à Mulher, é apresentar, ao final das atividades, um fluxograma geral que norteie as instituições e entidades quanto aos encaminhamentos necessários em casos de atendimento de mulheres vítimas de violência no município.

Foram apresentadas as primeiras versões dos fluxogramas individuais da Secretaria Municipal da Saúde; da Guarda Civil de Piracicaba, por meio da Patrulha Maria da Penha; da DDM (Delegacia de Defesa da Mulher de Piracicaba); da Comarca de Piracicaba do Ministério Público do Estado de São Paulo; da Smads e da Procuradoria Especial da Mulher, da Câmara de Vereadores de Piracicaba.

Foi colocada em pauta a importância de incluir outras frentes de trabalho na elaboração dos fluxogramas, como o Disque Racismo 156, que é acompanhado pelo Conepir (Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Piracicaba), envolvendo a violência racial às mulheres, além do Fórum Permanente de Empreendedorismo Feminino, de autoria da vereadora Nancy Thame (PSDB), que traria um acolhimento, junto à Semtre (Secretaria Municipal de Trabalho e Renda), da inclusão da mulher no mercado de trabalho. Também serão incluídos os fluxogramas do Disque 190 e o Botão do Pânico, da Polícia Militar.

Este foi o segundo encontro realizado pela comissão, que contou com a presença da presidente do Conselho Municipal da Mulher, Laura Queiroz; da vereadora Nancy Thame, representando a Procuradoria Especial da Mulher da Câmara; de Sônia Pateis, coordenadora da Patrulha Maria da Penha de Piracicaba; Maria Christina Freitas, promotora de Justiça do Ministério Público do Estado de São Paulo; Rosalia Toledo Ometto, representando a Sociedade Metodista de Mulheres, da Catedral Metodista de Piracicaba; Vanessa Rossato, coordenadora do Cram (Centro de Referência de Atendimento à Mulher); Elaine Zanatta, coordenadora do DRS 10 (Departamento Regional de Saúde do Estado de São Paulo), Tatiana Bonini, coordenadora do DAB (Departamento de Atenção Básica) e Marilda Soares, que além de ser chefe de gabinete da vereadora Nancy Thame, representa o Conepir (Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra de Piracicaba) e o CDCPN (Centro de Documentação, Cultura e Política Negra).

da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

cinco × 2 =