Agentes do Zoonoses continuam o combate a dengue

Piracicaba, o Brasil e todo o mundo era completamente diferente há um mês, antes da OMS (Organização Mundial da Saúde) caracterizar a Covid-19 (novo coronavírus) como pandemia – decretada no último dia 11 de março. A cidade, anteriormente aos períodos de quarentena estipulado e já renovado gelo governo do Estado de São Paulo, ainda funcionava com comércio e indústria em sua plenitude, além de serviços e órgãos públicos na normalidade das demandas diárias.

No início do mês passado, o maior problema de saúde pública em Piracicaba ainda era a dengue. Ainda no primeiro dia de março, a Secretaria Municipal de Saúde intensificava as ações de combate ao Aedes aegypti. Em parceria com uma empresa terceirizada especializada no controle de vetores e pragas urbanas, as atividades de rotina seriam então intensificadas, entre elas, visitas em domicílios, entradas forçadas em imóveis fechados para retirada de criadouros, arrastões e mutirões.

Na semana passada, a Prefeitura informou que os agentes do Zoonoses continuam as atividades de visitas às casas, tomando os devidos cuidados contra a disseminação do vírus. “É importante que as famílias os recebam para que a cidade possa controlar o risco de epidemia de dengue, o que seria mais um agravante em um cenário difícil de combate ao coronavírus”, destaca a administração municipal.

Antes da pandemia comprometer os gastos públicos, que agora são reajustados e remanejados sempre no intuito de minimizar os prejuízos impostos pela proliferação da Covid-19, a Prefeitura anunciara um grande investimento à população: a obra de reforma e revitalização do Terminal Central de Integração Comendador Antônio Romano (TCI). O investimento municipal é de mais de R$ 3 milhões. A modernização contempla também a acessibilidade com rampas, instalação de pisos podotáteis e banheiros acessíveis. As obras continuam.

O início de março também marcou Piracicaba pelas mobilizações dos mototaxistas e motofrestistas, na luta por mais prazo para a adaptação à lei municipal que regulamenta as atividades do setor.

A cidade também enfrentou uma greve na educação estadual, com 68 unidades que paralisaram o trabalho.

Entre as boas notícias daquele período, Piracicaba subiu duas posições no Ranking de Saneamento 2020, realizado pelo Instituto Trata Brasil. O ranking leva em conta as 100 maiores cidades brasileiras com a melhor qualidade de serviço de saneamento oferecido à população. Piracicaba ocupava o 8º no Ranking de 2019 e saltou para 6º lugar em 2020.

Erick Tedesco

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × 2 =