Competição Baja SAE movimenta a Escola de Engenharia

Competição reunirá nas 30 equipes de estudantes de engenharia de estados como RJ, SP, MG e DF. (foto: Amanda Vieira/JP)

Mais de 900 pessoas entre competidores, juízes, equipes organizadoras, familiares, alunos, professores e convidados vão participar da 13ª Competição Baja SAE Brasil/Etapa Sudeste que acontece na EEP/Fumep (Escola de Engenharia de Piracicaba) nos dias 23 e 25 de agosto.

A abertura, exclusiva às equipes participantes, acontece hoje, a partir das 19h20; e o enduro de resistência, a prova mais esperada, no domingo (25), das 10 às 14 horas, com premiação às 15 horas. Promovida pela SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), Seção São Paulo Interior, com a co-realização da EEP, a competição reunirá nas 30 equipes de estudantes de engenharia do Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Espírito Santo e Distrito Federal.

Quem vencer ganha vaga para competição nacional e posteriormente à etapa internacional, no EUA. “Para isso, eles precisam aplicar na prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula e se envolver em um caso real de desenvolvimento de um veículo off road, desde sua concepção, projeto detalhado, construção e testes, concedendo ao monomotor as características e estrutura que ele precisa para vencer todas as provas da Competição”, disse o professor André de Lima, coordenador do curso de Engenharia de Produção e um dos organizadores do evento.

Ele revela que as equipes são constantemente desafiadas a buscar novos conhecimentos para evoluir o protótipo e principalmente a experiência de trabalhar em equipe, processo que, segundo o coordenador, é um grande diferencial para o mercado de trabalho. A aluna do curso de Engenharia de Produção Meire Elen Casarim concorda com Lima.

Ela é capitã da equipe EEP Baja e está otimista com o desempenho do carro na Competição. “Temos trabalhado e nos dedicado muito ao projeto técnico, cronograma e viabilidade de custos entre outros diversos itens; dinâmica que, na prática, assemelha-se aos processos desenvolvidos pela indústria proporcionando enorme vantagem competitiva aos alunos envolvidos”, disse.

Ela conta que, este ano, a equipe Baja EEP entrará na pista com o carro de nº19, tendo à frente o piloto Rafael Bassan. “Estamos ansiosos, porém seguros de nossa capacidade de fazer bonito e conquistar, se não o primeiro lugar, uma colocação que corresponda ao empenho da equipe em melhorar o carro, tornando-o cada vez mais competitivo”, disse a capitã, reforçando o convite para a Competição.

O diretor acadêmico da EEP, José Carlos Chitolina, lembrou que a Competição também exalta os 50 anos da EEP e se constitui em momento histórico por proporcionar ao público um evento de relevância sociocultural ao mesmo tempo em que motiva jovens para a educação por meio da ciência, da tecnologia, do automobilismo e da aviação, tendo-se em vista a apresentação da Esquadrilha da Fumaça no dia 18 de agosto.

O diretor executivo da Fumep, Antônio Carlos Giuliani, revela por sua vez, que do ponto de vista econômico, o evento contribui para o cenário regional com a formação e qualificação da mão de obra que vai atuar em empresas que constituem o polo automobilístico da região de Piracicaba, a exemplo da Mercedes, Hyundai, Toyota e Honda. “Nosso papel em meio a tudo isso é capacitar os novos engenheiros para atuar nesse mercado crescente; e cada vez mais exigente”, pontuou.

Da Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 × 4 =