Concessionária Mirante tem a primeira presidente mulher

Foto: Alessandro Maschio/JP

Silvia Leticia Tesseroli é a primeira mulher a assumir a presidência da concessionária Mirante, empresa responsável pelo esgotamento sanitário de Piracicaba. Desde o dia 1º de julho deste ano, Silvia responde pela concessionária, assim como outras duas que compõem a Regional SP da holding Aegea Saneamento: Águas de Matão e Águas de Holambra. A presidente é bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), com MBA em Gestão Econômico-Financeira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e formação para atuar em conselhos de administração pelo IBGC. Com mais de 22 anos de experiência em concessões de serviços públicos, em empresas como CCR, CIBE (Consórcio entre os Grupos Bertin e Equipav) e Aegea Saneamento, atuou inicialmente na gestão de contrato de concessão e reequilíbrios econômico-financeiros, assim como na direção de concessionária. Na sequência, atuou no planejamento financeiro da holding da CIBE, abrangendo concessões rodoviárias, saneamento e termoelétricas. Sílvia é executiva na Aegea desde sua fundação, em 2010, tendo exercido a função de CFO da holding pelo período de um ano e meio, além de ter sido responsável pelo centro de serviços compartilhados do grupo.

Como mulher, como é para você assumir o cargo de presidente no universo corporativo, onde a maioria das lideranças são homens?

Eu cresci com dois irmãos, aprendi muito como conviver em um ambiente predominantemente masculino (risos). Estou no universo corporativo há mais de 22 anos e sempre atuei em companhias que valorizam o profissional como um todo, independente de raça, gênero e credo. Não vi essa questão exacerbada nos locais onde atuei e sempre defendi que quando o profissional desenvolve um trabalho correto e ético, não importa qual o seu gênero e essa foi a minha experiência de vida, embora tenha consciência de que não é a realidade para a maioria das mulheres. Acredito nas pessoas e na diversidade de ideias para construir um mundo melhor e mais inclusivo. A nova geração tem maior consciência ambiental e social e tem inspirado outras gerações, de forma que exercem influência no comportamento das empresas. Com todas estas mudanças, tenho esperança que resultem em uma sociedade mais igualitária.

Quais são os maiores desafios em gerir uma parceria público-privada nos moldes da que temos em Piracicaba?

O desafio é diário. É prestar sempre o melhor serviço. O contrato que temos com o Semae é de 30 anos, então temos pela frente mais 21 anos de dedicação ao povo piracicabano, oferecendo um serviço de qualidade e mantendo o nome de Piracicaba como destaque nos principais rankings nacionais de saneamento, como são o Trata Brasil e a ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental). A transparência no trabalho e a garra de prestar um serviço cada dia melhor também fazem toda diferença e acabam rendendo excelentes frutos.

Qual é o diferencial da concessionária Mirante, que conquistou a universalização do saneamento no Município em apenas dois anos de atuação?

O diferencial é justamente aportar a capacidade financeira, de inovação e celeridade do setor privado, uma vez que muitas vezes, o poder público tem a capacidade técnica e necessita de um aporte de recursos para acelerar grandes investimentos. O modelo do contrato permite que façamos os investimentos com recursos próprios e de terceiros, e o Semae “parcela” o pagamento desses investimentos em 30 anos. Piracicaba é realmente um exemplo bastante positivo, inclusive para a nossa holding, pois foi a primeira PPP da Aegea. Foram necessários volumosos investimentos para que, em apenas dois anos, Piracicaba entrasse para o seleto grupo de cidades universalizadas. Essa vitória só foi possível porque contamos com profissionais além da conta. São conquistas importantes para o município e a concessionária se orgulha de contribuir com esse progresso. Veja a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Bela Vista, por exemplo, que foi 100% construída pela concessionária, com tecnologia de ponta, planejada levando em conta a sustentabilidade, uma de nossas grandes preocupações. A Bela Vista é um exemplo não só para o Brasil, mas para diversos países, tanto que a unidade operacional recebe visitantes de muitos lugares que vem em busca desse modelo.

Você falou sobre sustentabilidade. Quais ações a concessionária preza nesse quesito?

São inúmeras, mas um bom exemplo é o nosso secador solar de lodo, construído na ETE Bela Vista. O lodo é um subproduto do esgoto que, antes do secador, era direcionado a um aterro credenciado para esse fim. Mas nós queríamos dar um destino ambientalmente correto ao lodo gerado mensalmente no município, que é de 1.200 toneladas. Com o secador, conseguimos retirar 70% da água desse montante e reduzimos o volume em um terço. Mas não paramos por aí. Em parceria com a Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) e a APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), conseguimos com que esse lodo se transformasse em adubo orgânico, o que representa um enorme ganho ao meio ambiente. Também na área de Responsabilidade Social temos vários programas que contemplam esse tema, como por exemplo, o ‘De olho no óleo’, que tem como objetivo conscientizar a população a não descartar óleo de cozinha usado na rede coletora (pia) para não poluir nossas águas. Temos ainda o detergente biodegradável, usado em redes coletoras com acúmulo de gordura, que tem surtido efeitos bastante positivos, sem agredir o meio ambiente. Com iniciativas simples, podemos mudar a consciência ambiental das pessoas e, a partir dessa mudança, melhorar o mundo em que vivemos. Mas não adianta somente a empresa ter boa vontade, é preciso que os colaboradores acreditem que podemos promover essa mudança de mentalidade. E os nossos acreditam muito. Nos projetos, procuramos envolver a sociedade para que essa consciência ambiental e social se espalhe de forma a plantar muitas sementes para colhermos um futuro melhor.

Recentemente a concessionária ganhou o Prêmio Lugares Incríveis para Trabalhar 2021. Foi a primeira vez que a Mirante participou?

O prêmio é uma iniciativa da UOL e da Fundação Instituto de Administração (FIA), que reconhece as empresas brasileiras com os mais altos níveis de satisfação entre seus colaboradores. Sim, foi a primeira vez que a concessionária Mirante participou e fiquei extremamente feliz. Esse reconhecimento foi importantíssimo porque o prêmio é fruto de como os nossos colaboradores percebem o ambiente de trabalho e isso reflete diretamente na forma como servimos a sociedade. O time conta com diversos talentos, que constroem o ambiente de pertencimento, de colaboração e de serviço. Somos embaixadores da saúde, trabalhando em prol do bem estar e da qualidade de vida da população piracicabana, além de termos a preservação ambiental como parte da nossa essência, pois nossa natureza movimenta a vida.

Qual o impacto do saneamento na vida da população?

Há diversos estudos que mostram que o saneamento adequado reduz o índice de doenças ocasionadas ao consumo de água e ao esgoto, influenciando diretamente na saúde da população. Imagine que Piracicaba gerou, de janeiro a julho deste ano, 23 bilhões de litros de esgoto, volume que equivale a 9.429 piscinas olímpicas. No mesmo período, no Brasil foram despejados na natureza, sem tratamento,1.168 milhão de piscinas olímpicas de esgoto. Esses números são do Instituto Trata Brasil, que recentemente criou a ferramenta ‘Esgotômetro’ para acompanhar a questão de esgotamento sanitário. Então, felizmente, estamos na contramão do que ocorre no país, que vive situação alarmante nessa área.

Então, se comparamos Piracicaba como cidades do mesmo porte, podemos considerá-la privilegiada por ter atingido a universalização do saneamento?

Com toda certeza Piracicaba é privilegiada, não só em relação a cidades do mesmo porte, mas a muitos municípios brasileiros. Basta olharmos os números: aproximadamente 35 milhões de pessoas no Brasil não tem acesso à água potável e 100 milhões não têm sequer coleta de esgoto. O Marco do Saneamento, que foi sancionado em julho de 2020, tem uma meta bastante ambiciosa, que é a de que, até 2033, 99% da população tenha acesso à água potável e 90%, à coleta e tratamento de esgoto. Água potável e coleta de esgoto são direitos básicos para se ter uma vida saudável, para aumentar a expectativa de vida da população e também para garantir desenvolvimento. Por isso que trabalhar nessas frentes é tão gratificante, porque mudamos a vida das pessoas, levamos dignidade, saúde, qualidade de vida.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

14 − cinco =