Conespi se manifesta contrário à mudança de secretarias municipais

Preocupação é com a alteração da Semtre para Semdettur; Gilmar quer diálogo com setores envolvidos. (Foto: Davi Negri)

O presidente da Câmara de Vereadores, Gilmar Rotta (Cidadania), foi procurado pelo Instituto Conespi (Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba) para discutir a unificação das secretarias municipais de Governo e Desenvolvimento Econômico com a do Trabalho e Renda.

Recentemente, a Câmara recebeu do Executivo o projeto de lei que altera de Semtre (Secretaria Municipal de Trabalho e Renda) para Semdettur (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo).

O projeto teve parecer favorável da Comissão de Legislação, Justiça e Redação e está sob análise da Comissão de Obras, Serviços Públicos e Atividades Privadas.

A decisão do Conespi em procurar a Câmara é porque o Executivo teria enviado o projeto antes de conversar com as categorias envolvidas. “Temos muito respeito pelo Legislativo, onde as discussões são feitas captando de perto as demandas sociais. Será nesta Casa que encontrarmos a solução para que isso deixe de ser um impasse”, declarou José Antonio Fernandes Paiva, vice-presidente do Conespi.

Após receber o documento da diretoria do Conespi, Rotta discutirá a questão com os demais vereadores e buscará outras ações no âmbito interno, para que a reivindicação da entidade seja respeitada e possa ocorrer o fortalecimento do diálogo entre as frentes envolvidas.

Na avaliação de Gilmar Rotta, a Semtre, desde a sua criação, abriu portas para o trabalhador, se tornou referência para as empresas e contribuiu para a capacitação de jovens. “O projeto está tramitando na Casa, mas até então não havia qualquer manifestação contrária de entidades. Entendemos a seriedade da reivindicação, é um pedido de diálogo, para que haja o esclarecimento”, disse.

O Conespi representa cerca de 200 mil trabalhadores da ativa e aposentados em Piracicaba e região. O instituto acredita que a mudança, na prática, representaria a extinção da secretaria. “São mais de 30 mil desempregados na cidade, conhecemos a dinâmica da Semtre. Entendemos que pode estar havendo um equívoco na decisão pela fusão. É uma secretaria que teve um protagonismo extraordinário nos últimos governos, do ponto de vista de tratar o trabalho e renda como prioridade de política pública”, ressaltou Paiva.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

1 × cinco =