Corinthians e Palmeiras se enfrentam pela quarta vez no ano

Palmeiras conquistou o Paulistão após vencer o rival (Foto: Cesar Greco)

Após pouco mais de dois meses da decisão do Campeonato Paulista, Corinthians e Palmeiras se reencontram nesta quinta-feira (10), às 19h15, na Neo Química Arena, em São Paulo. O Timão, que fará seu primeiro clássico em seu estádio desde a compra dos naming rights, está na 11ª posição, com nove pontos, enquanto o Alviverde é o sexto colocado, com 13 pontos e é a única equipe invicta na competição.

Com apenas duas vitórias em sete jogos na competição nacional e sem apresentar um bom futebol, princialmente na condição de mandante, o técnico do Corinthians, Tiago Nunes, chega pressionado para o confronto, já que chegou com expectativa após um ótimo trabalho no Athletico-PR, mas que, até agora não convenceu no Alvinegro e uma derrota para o maior rival deixará o treinador ainda mais pressionado.

O próprio treinador sabe do peso do jogo, no qual falou deste confronto logo após o empate com o Botafogo-RJ. “Todo clássico tem um peso diferenciado pela tradição, pela cobrança que se tem das torcidas pelo resultado. Naturalmente que se você está no Corinthians, está sempre em uma condição de ter que vencer, isso a gente sabe, compreende e aceita. Jogar o clássico é uma condição que às vezes te coloca no céu e às vezes te joga para baixo, então você tem que estar em um nível de entendimento e de equilíbrio muito grande para conseguir fazer um jogo bom. Jogamos três clássicos, vencemos um e empatamos dois, então sempre é um jogo equilibrado e não vai ser diferente. É um jogo de detalhes, e quem errar menos provavelmente vai conseguir ter sucesso”, comentou.

Invicto no Campeonato Brasileiro e com uma invencibilidade de 12 jogos, o Verdão só perdeu um jogo após a volta do futebol e essa derrota foi justamente para o rival Corinthians, pelo placar de 1 a 0, no dia 22 de julho e no estádio do Alvinegro (que na época ainda se chamava Arena Corinthians). Mesmo sem convencer toda a torcida, o técnico Vanderlei Luxemburgo chega menos pressionado que o treinador rival, já que vem de um título, não perde desde julho e venceu o Red Bull Bragantino na rodada passada, quando completou 400 jogos a frente do Verdão (somando todas as passagens).

“400 jogos pelo Palmeiras é uma marca boa e histórica. É um clube pelo qual eu me identifico desde lá atrás. Compreendo o torcedor do Palmeiras, que invade o meu Instagram e mete a porrada (risos). O torcedor é crítico, mas eles elogiam também. Nós temos de entender isso”, afirmou Luxemburgo, que só tem menos partidas a frente do Verdão que Oswaldo Brandão (586 jogos) e Luiz Felipe Scolari, o Felipão (484),

Quem também chega animado para o derby é o atacante Willian, único atleta presente em todos os jogos do Verdão, já que marcou na última partida da equipe e se tornou o segundo maior artilheiro do Palmeiras nos pontos corridos, com 22 gols, atrás apenas de Dudu, que marcou 41 gols. “Marcar gols e acumular marcas importantes com a camisa de um grande clube como o Palmeiras é sempre muito especial. Fico feliz por ter conseguido contribuir para que o time saísse com a vitória. Graças a Deus, fiz o gol, vencemos a partida e nos mantivemos na parte de cima da tabela. Devemos seguir com esse foco e brigar pelas primeiras posições até o final”, afirmou o atleta.

Corinthians e Palmeiras fazem o quarto derby no ano, o primeiro no Brasileirão. Nos confrontos anteriores, ambos pelo Paulistão, o Timão venceu por 1 a 0 na primeira fase, gol de Gil; enquanto os dois jogos válidos pela final terminaram empatados, em 0 a 0 e 1 a 1 (gols de Luiz Adriano e Jô), respectivamente, sendo que apenas o segundo não foi na Neo Química Arena. O Verdão não vence o rival desde 2018, quando venceu em casa por 1 a 0 (pelo Brasileiro), gol de Deyverson e no estádio corintiano, o último triunfo foi pelo Paulista do mesmo ano, quando venceu também por 1 a 0, gol de Borja.

Este deverá ser o último derby do ano, já que o próximo está marcado para o dia 3 de janeiro, pela 28ª rodada. As equipes ainda podem se enfrentar mais duas vezes, caso se encontrem na Copa do Brasil (ambos estão classificados para as oitavas).

Mauro Adamoli