Santa Casa tomou medidas para atendimento e evitar contágio com a doença. (Divulgação)

Com a confirmação de um caso positivo de Covid-19 (novo coronavírus) no Estado de São Paulo – o primeiro do país – e a suspeita descartada ontem de um caso em Piracicaba, os sistemas de saúde público e privado na cidade se organizam para o enfrentamento da doença.


Na rede pública, desde a notícia de mortes pelo coronavírus na China, o Centro de Vigilância em Saúde passou a se reunir com as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) e a atenção básica para definir estratégias de atendimento.


O coordenador da Vigilância em Saúde, Moisés Taglieta, em conversa com os responsáveis por essas unidades, definiu que a porta de entrada para os casos suspeitos serão as UPAs. A Secretaria de Saúde de Piracicaba definiu que estas unidades fariam esse papel devido ao atendimento diferenciado de atenção básica cujo atendimento ocorre por agendamento, oferecendo assim outra filosofia de trabalho, segundo definiu a pasta.


Com isso, os profissionais das unidades de pronto atendimento receberam treinamento e capacitação para o atendimento ao paciente com suspeita do coronavírus. “Esses profissionais recebem o paciente e de imediato os encaminha para os exames e diagnóstico”, informou a secretaria.


Nos casos mais graves o paciente é encaminhado para internação hospitalar, do contrário segue para isolamento domiciliar e passa a ser monitorado à distância pela Secretaria de Saúde.


Na rede privada, os hospitais que responderam à reportagem, a Santa Casa informou que reforçou as medidas de prevenção nas recepções da maternidade, do pronto atendimento do hospital e do ambulatório do Plano Santa Casa Saúde. A instituição criou um plano de combate ao novo coronavírus e definiu protocolo para identificar casos suspeitos.


“O objetivo é ampliar o cerco ao novo vírus e, para isso, os funcionários que trabalham em setores e unidades que concedem o primeiro atendimento, acolhendo o paciente, usarão máscaras a partir desta sexta-feira”, informou o diretor técnico da Santa Casa, Ruy Nogueira Costa Filho.
No HFC (Hospital dos Fornecedores de Cana) houve uma reunião ontem com o médico infectologista Arnaldo Gouveia Jr., que é o coordenador do Controle de Infecção Hospitalar com profissionais e médicos.


Durante a reunião foram passadas orientações aos funcionários de todas as áreas do hospital. Os visitantes de pacientes serão orientados a lavar as mãos com frequência, uma das medidas de prevenção à doença. No caso de um surto, as visitas deverão ser suspensas.

Beto Silva

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

15 − 1 =