Correspondente autônomo bancário: como ser um?

Foto: Pexels

Apesar de não muito conhecida, profissão é cada vez mais procurada diante da demanda por crédito

Segundo o INDC (Índice Neurotech de Demanda por Crédito) a procura por crédito no Brasil subiu 33% nos primeiros 6 meses de 2021, comparado ao mesmo período do ano passado. A procura por financiamento no setor de serviços subiu 101%. No setor de varejo, a expansão foi de 67%, enquanto essa parcela em bancos e financeiras cresceu 22% no primeiro semestre deste ano.

Esse cenário de aumento da demanda por crédito e serviços bancários faz com que os serviços do profissional correspondente bancário se tornem muito procurados. De acordo com o professor e especialista Jefferson Ribeiro:

‘Os correspondentes bancários são contratados de forma autônoma pelos bancos para oferecer serviços bancários fora das agências, e um dos serviços mais rentáveis para o correspondente é a oferta de crédito. Então, pessoas que trabalham ou pretendem trabalhar como correspondente bancário e oferecer produtos como crédito consignado, crédito direto ao consumidor, crédito imobiliário ou financiamento de veículos são muito procuradas e geram um bom volume de negócios e boas comissões’, diz ele.

A afirmação sobre as oportunidades nesse mercado está alinhada com o grande aumento da busca por crédito citado anteriormente e com a necessidade dos bancos contarem com parceiros para levar seus serviços e produtos para mais pessoas, sem a necessidade de expandir suas próprias agências ou canais de atendimento.

‘Como exemplo podemos citar os corretores de imóveis. Caso o corretor faça a parceria com um banco e se torne um correspondente bancário, pode ganhar duas comissões sobre a venda do imóvel. A primeira será a comissão comum de um corretor, e a segunda, uma comissão do banco por intermediar a proposta de financiamento’, ressalta.

Em relação à remuneração dos correspondentes bancários, o Conselho Monetário Nacional determinou, em 2013, que os correspondentes que fecham contratos de empréstimo em nome das instituições devem receber comissão de 6% sobre o valor de cada operação de crédito.

Como o correspondente bancário é remunerado por comissões, quanto mais negócios fechar, maior a oportunidade de ganhos financeiros. De acordo com Jefferson, um dos passos mais importantes para se tornar um correspondente que é autorizado e aceito pelos bancos para atuar com produtos de crédito são as certificações obrigatórias:

‘A maioria dos grandes bancos possuem seu próprio programa para parcerias com novos correspondentes. O processo e requisitos são simples e qualquer pessoa pode se tornar um correspondente, desde que cumpra os requisitos. Mas o correspondente bancário que trabalha com produtos de crédito deve possuir certas certificações obrigatórias que são exigidas pelo Banco Central’, completa.

Da Redação

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dez + 18 =