Covid-19: SAP inicia testagem em massa nas unidades prisionais

Unidades de Piracicaba ficaram de fora (Caio Daniel/Divulgação SAP)

A SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) está dando continuidade à testagem em massa de servidores e presos sob custódia da Pasta. A iniciativa-piloto ocorreu recentemente na Penitenciária 2 de Sorocaba, que ocorreu em junho deste ano. Agora outras 26 unidades passam pelos testes. Os exames em presídios fazem parte do programa de testagem em massa do Governo do Estado de São Paulo em populações vulneráveis, incluindo-se aí, as pessoas privadas de liberdade. As unidades prisionais de Piracicaba não foram contempladas e deverão ficar na etapa seguinte, que deve acontecer em breve. As unidades prisionais foram inseridas num cronograma técnico elaborado por órgãos de saúde.  A iniciativa é fruto de ações conjuntas entre as Secretarias da Administração Penitenciária, da Saúde e de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, por meio do Instituto Butantan e do Centro Paula Souza. 

A Secretaria confirmou recentemente que na Penitenciária Masculina de Piracicaba, seis servidores foram confirmados com a covid-19 e outros quatro casos suspeitos. Todos foram afastados das atividades. Na mesma unidade, 11 presos foram positivados para a doença e cinco foram isolados com suspeita do novo coronavírus. A Pasta informou que três detentos já retornaram ao convívio com a população carcerária. No CDP (Centro de Detenção Provisória) Nelson Furlan e no CR (Centro de Ressocialização) Feminino Carlos Sidnes de Souza Cantarelli nenhum caso foi registro.

CR Feminino e CDP de Piracicaba ainda não tiveram casos, segundo SAP (Caio Daniel/Divulgação SAP)

Receberam a testagem recentemente as unidades localizadas na capital paulista, Grande São Paulo e Litoral Sul. Nesta primeira fase, serão contemplados 26 presídios instalados na capital, Santo André, Franco da Rocha, Osasco, Taiúva, Guareí, Irapuru, Pacaembu, Praia Grande, Presidente Prudente, Presidente Venceslau, Araçatuba, Mairinque, Casa Branca, Sorocaba, Americana, Campinas, Hortolândia e Capela do Alto.

Os presos com resultado positivo no Teste Rápido (que identifica a presença de anticorpos no organismo testado) terão coletado material para análise laboratorial do teste RT-PCR (que detecta a presença de vírus no organismo). Deste balanço, não houve qualquer internação hospitalar, todos estavam assintomáticos e com boa saúde.

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

nove + dezesseis =