Covid: possível nova variante P.4 é identificada em Rio Claro e região, diz estudo

O mapa das cidades onde a possível nova variante foi identificada. Em vermelho, cidades com sequências de genoma completo (19 amostras). Em bege, cidade com sequenciamento parcial do genoma (6 amostras).

Um novo estudo promovido por cientistas da Unesp confirmaram que Rio Claro registra a circulação de uma nova possível variante do coronavírus, a chamada P.4. O trabalho de identificação ocorreu em conjunto com pesquisadores da Unesp dos câmpus de São José do Rio Preto, Araraquara e Botucatu. Este grupo de cientistas da Unesp que identificou a P.4 integra o projeto de pesquisa da rede Corona-Ômica, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI). 

Segundo a Unesp, com a intenção de rastrear a frequência dessa variante no interior de São Paulo, foram realizados também alguns estudos de 64 amostras da região Araraquara. Além de Rio Claro, cidades da região também tiveram amostras confirmadas para a nova variante: Araras, Itirapina, Sumaré, Porto Ferreira, Ipeúna, Cordeirópolis, entre outras num total de 22 cidades do interior paulista.https://00ffcc994d0e3668a55d34b005f1b707.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Em Rio Claro, segundo o estudo, teriam sido identificadas a possível nova variante em 19 amostras, conforme aponta o mapa na imagem em destaque. A Sociedade Brasileira de Virologia confirmou que a variante apresenta a mutação L452R na proteína S do SARS-CoV-2, no entanto, que ainda não há informações se a nova linhagem é mais transmissível ou mais letal que as demais. O achado científico da Unesp foi validado internacionalmente pelo sistema de classificação e registro de novas linhagens.

A reportagem do JC contatou a Fundação Municipal de Saúde de Rio Claro. Segundo a secretária Giulia Puttomatti, até o momento, não houve notificação ao município sobre o estudo. Já o Governo do Estado de São Paulo também comunicou que ainda não há notificação formal da variante P.4 à Secretaria de Estado da Saúde.https://00ffcc994d0e3668a55d34b005f1b707.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

O estudo de identificação, fomentado pela Rede Corona-Ômica da RedeVírus do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação foi realizado pelo Instituto de Biotecnologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), de Botucatu; Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas da Unesp de São José do Rio Preto e Laboratório de Pesquisa em Virologia da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto. Também participaram da pesquisa a Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unesp de Araraquara e a Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo (USP), campus de Pirassununga. 

Até esta quarta-feira (26), Rio Claro registra 435 mortes pela Covid-19. O município tem 14.232 casos de Covid, sendo que 51 foram confirmados nas últimas 24 horas. Deste total, 13.219 pacientes estão recuperados. As cientistas Paula Rahal e Cintia Bittar, do câmpus de São José do Rio Preto, detalham o trabalho à TV Unesp.

Fonte: Lucas Calore/ Jornal de Rio Claro

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

17 − oito =