Crea-SP vai fazer força-tarefa em 12 cidades da RMP

Foto: Alessandro Maschio/JP

Fiscalização em vários setores acontece de 9 a 13 de maio

O Crea-SP (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo) vai realizar, entre os dias 9 e 13, uma força-tarefa de fiscalização em 12 municípios da RMP (Região Metropolitana de Piracicaba). Com caráter orientativo e preventivo, a ação tem como foco assegurar a presença de profissionais habilitados à frente das atividades abrangidas pelo conselho a fim de garantir a segurança da população.

Segundo o Crea, estão previstas cerca de 240 diligências em Piracicaba, Águas de São Pedro, Capivari, Charqueada, Elias Fausto, Mombuca, Rafard, Rio das Pedras, Saltinho, Santa Maria da Serra, São Pedro e Torrinha. Nesta ação, oito agentes fiscais identificados vão atuar em postos de combustíveis, centros de saúde de diagnóstico por imagem, empresas sem registro ou responsável técnico, loteamento clandestino e denúncias feitas pelos canais de atendimento do Conselho.

“Os agentes fiscais vão verificar se profissionais e empresas estão devidamente habilitados para seguir com as atividades em obras e serviços na região. Isso impacta positivamente a segurança da sociedade e aquece o mercado de trabalho”, afirmou o gerente regional, Carlos Consolmagno.

O Crea encerrou o ano passado com 292 mil ações de fiscalização, superando em mais de 45% a meta estabelecida. Foi um recorde histórico, segundo órgão. Em 2022, o objetivo é chegar a 400 mil ações fiscalizatórias. De 2015 a 2021, as ações  do Crea-SP aumentaram cerca de nove vezes.  “O crescimento se deve ao uso das tecnologias para apoio às atividades, com pesquisas e apurações remotas, antes dos agentes fiscais irem a campo, e à adoção do modelo das forças-tarefas no Estado”, afirmou Consolmagno.

DENÚNCIA
O Crea-SP abre canais em todas as unidades de atendimento para o registro de queixas, pelo site, telefones 0800 017 18 11 ou 0800 770 27 32. São infrações à legislação profissional: a ausência de responsável técnico em projetos, execuções ou prescrições; obras clandestinas; falta de placa na obra ou de identificação de responsável em atividades sujeitas à fiscalização; produção irregular de material ou insumo aplicáveis na Engenharia, Agronomia e Geociências; e outras situações relacionadas à violação do exercício técnico.

Beto Silva
[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

18 − dois =