Criança de 11 anos morre em decorrência da covid-19

Piracicaba registrava ontem 323 óbitos e 13.729 positivados (Foto: Amanda Vieira/JP)

Região de Piracicaba registrou ontem a morte por covid-19 do paciente mais jovem. Uma criança de 11 anos morreu em Rio Claro vítima de Síndrome Multissistêmica Inflamatória Pediátrica. A síndrome, segundo a médica infectologista Suzi Berbert de Souza, é rara e ocorre três a quatro semanas após a infecção por coronavírus em crianças maiores de 5 anos e pode desencadear alterações cardíacas graves e até a morte.

De acordo com a Secretaria de Saúde, a criança – que não teve o sexo divulgado – não apresentou sintomas de covid-19. Segundo a pasta, quando a síndrome inflamatória se manifestou foram coletadas amostras para exame que, após a morte, confirmou a contaminação pelo novo coronavírus há semanas. O boletim divulgado ontem registra ainda o óbito de um homem e uma mulher, totalizando 128 mortes na cidade.

PIRACICABA
A Secretaria de Saúde de Piracicaba registrou ontem duas mortes em razão da covid-19. As vítimas são duas idosas de 71 e 72 anos de idade. O total de óbitos por covid-19 no município aumentou para 323. Em relação aos infectados, foram mais 116 pessoas nas últimas 24 horas, sendo 57 mulheres e 59 homens, elevando o número de contaminados para 13.729.O município também registra 12.303 pessoas recuperadas da doença, 1.103 pessoas em tratamento, 1.075 casos suspeitos e 20.398 casos descartados.

BARES E RESTAURANTES
A Prefeitura de Piracicaba publicou ontem decreto que adéqua atividades ligadas a bares, restaurantes, shopping center e instituições de ensino à fase 3 (Amarela) do Plano São Paulo de combate ao coronavírus. De acordo com o documento, os estabelecimentos que adotam o sistema self-service deverão instalar protetores salivares nos balcões para proteção dos alimentos expostos. Outra exigência é a designação de um funcionário, devidamente protegido, para servir os clientes ou oferecer a eles luvas descartáveis.

Em relação ao shopping, o funcionamento, que era de oito horas diárias (das 12h às 20h), de segunda a sábado, passa a valer também para os domingos. As praças de alimentação podem funcionar oito horas consecutivas ou divididas em dois períodos.

No caso das instituições de ensino, é necessária a ampla divulgação aos alunos e usuários das regras de segurança sanitária, como uso de máscara e distanciamento mínimo de 1,5 metro, além de sinalização de solo para filas.

Beto Silva

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × três =