Cuidados com a pele dos bebês

Com as altas temperaturas da estação, cuidados com a pele do bebê devem ser mais intensos. (Foto: Divulgação)

stamos no auge do Verão e as altas temperaturas podem trazer “prejuízos” a saúde do corpo, como queimaduras, pele oleosa, além de problemas com mosquitos e demais insetos que, ao picar os humanos podem trazer alergias e problemas cutâneos, principalmente, em crianças e jovens.

Ao contrário dos adultos, as crianças ficam grande parte do seu dia em ambientes externos, ou seja, se expõem mais aos raios solares, o que pode sr prejudicial a pele. Por um lado, é ótimo para a produção da vitamina D que depende da atuação dos raios solares com o corpo para surgir no organismo. Por isso, a pediatra Cássia Amaral, docente de Medicina da Anhembi Morumbi, faz o alerta: “a exposição solar excessiva durante a infância é um fator particularmente significativo no risco futuro de desenvolvimento de câncer de pele”.



De acordo com a docente, existe uma clara relação entre a exposição solar ao longo dos anos e o desenvolvimento de carcinomas cutâneos (tumores na pele). A melhor medida para evitar esse problema que acerta 176 mil novas pessoas por ano, segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), são o uso de filtros solares com fatores correspondentes ao tempo que a criança ficará de exposição.

Além disso, evitar ficar muito tempo exposto ao sol em horários de sua maior incidência, entre 10h e 16h, é importante.

Quanto aos bebês, esse cuidado é redobrado. Até os 6 meses, a criança não pode usar protetor solar nem tomar sol. “Somente após essa idade deve-se fazer o uso do filtro solar especifico, já que existem produtos químicos perigosos na composição do protetor comum de uma pessoa adulta”, aponta Cássia.

MOSQUITOS

Com casos alarmantes de dengue por todo o Brasil, inclusive São Paulo que chegou até um aumento de 1.072% dos casos, de acordo com o Ministério da Saúde, a dica é para que as crianças evitem ser picadas, mantendo as janelas fechadas no começo da manhã e da tarde, pois é quando os mosquitos aparecem; utilizar de ventiladores, e ar condicionados, pois o vento espanta os insetos, além de claro instalar telas protetoras nas janelas e portas das casas.

Os repelentes podem ser usados por maiores de 6 meses, mas, segundo Cássia Amaral, nunca durante o sono ou por períodos mais prolongados. “Também não passe o produto nas mãozinhas das crianças, pois eles podem levá-lo à boca”, enfatiza a especialista.

Larissa Anunciato

[email protected]