Curta de piracicabano é selecionado para festivais europeus

A produção será exibida dia 20, no Reino Unido e, em seguida, dia 30, na Eslováquia (Foto: Divulgação)

O ainda inédito curta-metragem “A Fantástica Fábrica de Sonhos”, dirigido por Mário Bregieira e escrito por Maurício Pinheiro, dois piracicabanos, foram selecionados para compor, neste mês de setembro, mostras de dois festivais internacionais. A produção será exibida dia 20 de setembro no Lift-Off Global Network (Reino Unido) e, em seguida, dia 30 deste mês no Košice International Monthly Film Festival, na Eslováquia.

O diretor Bregieira, formado na Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba), conta que enviou o curta para vários festivais e estes sãos os dois primeiros retornos. “Poder levar nosso cinema e nossa visão artística, e poder representar o cinema do interior paulista, é incrível”, responde ao JP, do Rio de Janeiro.

Bregieira também é ator e, em solo carioca, aguarda a retomada – em outubro – das gravações na novela em que atua, Gênesis, da Record. “Estávamos gravando no Marrocos quando foi decretada a pandemia. Tivemos que parar tudo e voltar”, ele lembra.

“A Fantástica Fábrica de Sonhos”, com Vanessa Bonandi como protagonista, foi gravado em um sítio na cidade de São Pedro, segundo o diretor, em apenas dois dias. “Foi escrito e produzido durante a pandemia, trata sobre uma mulher em um isolamento auto imposto, quando reflete sobre o impacto das tecnologias e das pressões sociais nas decisões que tomou durante a vida”, destaca o diretor.

No curta, Vanessa é Estela e está confinada em uma casa. Ela, ali, decide preparar uma receita de um sonho, “que pode saciar seu vazio existencial, enquanto desmonta a fantástica fábrica de sonhos que modelou suas escolhas e a sua vida”, revela o diretor.

Sobre uma estreia com público e em Piracicaba, Bregieira sabe que será possível apenas em 2021, num mundo pós-pandemia, mas já tem algo planejado e descarta qualquer possibilidade de uma estreia online. “A première deve acontecer no Sesc Piracicaba, mas é preciso esperar”.

Erick Tedesco