De 120 mil a 8 milhões de frascos, álcool em gel projeta empresa local

Instalada no bairro Caxambu, Companhia Nacional do Álcool priorizou ações sociais com doações de álcool em gel aos profissionais da linha de frente e populações carentes

A pandemia catapultou negócios como as vendas on-line, mas também o comércio de produtos diretamente ligados à prevenção ao Coronavírus. Em Piracicaba, uma empresa em especial foi o símbolo desta explosão de consumo, mas os autos lucros não afastou a direção das ações sociais que visaram, quase que imediatamente, retribuir à sociedade o crescimento no mercado que veio por uma crise sanitária.

Com mais de 70 anos de história, a Companhia Nacional de Álcool é uma discreta empresa instalada no bairro Caxambu, cercada de verde e que pode passar despercebida pelos menos desaviados. Primeira a engarrafar álcool em embalagens vidro, tem produtos especiais como álcool em gel, em aerossol e em lenço de papel.

O presidente do Grupo MPR, Claudio Fazzinga Oporto, afirma que desde o primeiro momento da pandemia havia a certeza de que priorizar ações sociais com doações em especial aos profissionais da linha de frente do combate ao Coronavírus e para populações mais carentes era essencial e seria o grande aprendizado da empresa. “Então, mesmo causando atrasos nas entregas para o mercado, separamos sempre uma parte da produção para ações sociais e entendo que isso nos ajudaria como sociedade a superar a crise o quanto antes fosse possível”.

Os números mostram volume das ações sociais: foram 50 mil frascos de álcool em gel para as polícias Civil, Militar e Científica do Estado de São Paulo, 30 mil litros de álcool líquido 70° para o Exército Brasileiro, 11 mil litros de álcool líquido 70° para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), 480 mil frascos de álcool líquido 70° em parceria com outras empresas para doações em conjunto para várias instituições e locais de grande necessidade, 500 mil litros de água sanitária para comunidades e pontos importantes de Piracicaba entre outras ações espalhadas pelo país.

Honrada por estar no coração da cidade, a empresa reconhece o acolhimento à fábrica e aos trabalhadores que, segundo provaram durante toda pandemia, capacidade de superação. “Aumentamos o número de funcionários e criamos novos turnos de produção. Com a necessidade de distanciamento, também tomamos cuidados para segurança dos nossos colaboradores da Covid-19”, explica. Foram cerca de 200 vagas novas de empregos em razão da crise sanitária.

Os ajustes para atender a demanda por álcool em gel foram vencidos gradualmente. No início de fevereiro de 2020, os estoques cresceram, mas mesmo assim a consumiu o estoque. “Montamos uma verdadeira operação de guerra. A nossa fábrica saiu de 1 turno para 3, rodando sábado e domingo. Aumentamos nossa infraestrutura como vestiários e refeitórios, treinamos o pessoal novo, montamos novas linhas, cadastramos novos fornecedores, ampliamos nosso Centro de Distribuição ao mesmo tempo que reforçávamos a segurança dos colaboradores e nosso escritório entrava em home-office”, conta Oporto.

As mudanças foram para atender uma demanda que passou, em 2020,de 6 mil frascos/dia para mais de 200 mil/dia em apenas 45 dias, ajudando no abastecimento das lojas e apoiando as campanhas de doação de produtos. Em janeiro de 2020 eram produzidos 125 mil frascos de álcool em gel na fábrica, em maio de 2020 atingimos a produção de 8 milhões de frascos de álcool em gel. “Para absorver a produção, foi preciso aprovar inclusive mudanças temporárias de frasco, tampa e rotulagem numa grande agilidade para contornar gargalos”.

A expectativa da empresa é de que este novo comportamento quanto a utilização de produtos de higienização, como álcool em gel, perdure, hábito importante e que tinha se perdido. “Alguns cuidados são importantes e também acreditamos que esta preocupação com higienização das mãos seja um legado da atual pandemia”, projeta Oporto, ponderando ainda que o álcool é um produto usado em casos críticos de saúde como hospitais, é natural e de fonte renovável (cana-de-açúcar).

Especial Piracicaba 254 anos

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

cinco × 1 =