Brechós crescem em vendas online na pandemia

0
267 views
De acordo com o Sebrae, comprar em brechós possibilitam uma economia de até 80% (imagem: freepik)

O consumo de roupas e acessórios usados não é algo novo. Seja pelo preço baixo ou o garimpo de peças icônicas, lojas de brechós sempre fizeram sucesso ao redor do mundo, mas, assim como outros setores afetados pela pandemia, encontraram na internet, uma maneira de se reiventar.

De acordo com o site e-commercebrasil, vendas online em todos os seguimentos, tiveram um aumento de 41% no período de pandemia do coronavírus. A informação consta do Webshoppers 43 Ebit|Nielsen & Bexs Banco, que mostrou ter havido uma alta do faturamento de 30% sobre as vendas do ano anterior. 

Patrícia Cristina Montanhere de 43 anos, tem em seu currículo pelo menos 15 anos de experiência de trabalho em lojas de roupas no comércio formal, mas, foi há três anos que ela decidiu abrir o próprio negócio, investindo na sua loja online chamada Passamanaria brechó. “O meu negócio (brechó) sempre foi online, é um brechó com curadoria. Eu compro, lavo, passo, tiro as medidas, fotografo e público as fotos no perfil do instagram. Nunca tive loja física, mas tenho um bom resultado nas vendas online”, contou.

Patrícia Cristina Montanhere, empresária autônoma (foto: acervo pessoal)

O trabalho de curadoria é o que, de acordo com Patrícia Montanhere, faz toda diferença. Ela explica que esse cuidado é reconhecido pelos seus clientes, que hoje não se limitam a cidade de Piracicaba. “Eu vendo para todo Brasil! Por exemplo, tenho uma cliente que hoje virou uma grande amiga e mora em Brasília (DF)”, disse.

Mesmo com as dificuldades do período de isolamento, as vendas tiveram um crescimento neste período, com um aumento nos pedidos, como conta Patrícia. “No início da Pandemia tive bastante medo, não sabia ao certo como seria, mas por incrível que parece as vendas aumentaram. Hoje o brechó é minha única renda e confesso estar bem feliz fazendo o que eu amo, trabalhando com moda sustentável e exclusiva”.

Cliente assídua de brechós, a Social Media Lucia Teodoro de 24 anos, começou a comprar de maneira online só em 2018. Lucia diz que sempre frequentou feiras de roupas usadas em eventos abertos de Piracicaba, como Rua do Porto e Engenho Central, até que descobriu o perfil de uma dessas vendedoras nas redes sociais. Ela ressalta que o trabalho de curadoria vem antes do valor das peças e que, por se tratar de uma compra online, é importante pesquisar antes se aquele brechó trabalha com o sistema de trocas. “Outra dica é você saber que brechó não significa que você vai comprar uma roupa por um preço muito baixo. Brechó é diferente de bazar, pois há um trabalho garimpo das peças, um tipo de cuidado que bazar não tem”, ressaltou.

Lucia Teodoro (foto: acervo pessoal)

A consultora de estilo Myla Toledo, explica que essa é uma tendência crescente no universo da moda e que já é possível, inclusive, encontrar lojas de brechós especializadas em roupas de grife. “O comportamento do novo consumidor mudou e, com isso, os brechós tem se destacado pelo custo benefício que eles fornecem, principalmente os de grifes que se tornam uma oportunidade de compra para quem sempre teve o desejo de obter uma peça, por exemplo, da Chanel, além do fato da sustentabilidade ser alcançada”.

Myla Toledo, consultora de estilo (foto: acervo pessoal)

Outra vantagem, de acordo com ela, é poder adquirir peças exclusivas de outras épocas. “As peças são diferenciadas em épocas de 1970 a 1990, já imaginou ter uma jaqueta de couro legitimo com exclusividade? São itens atemporais, o visual da peça conta muito, além do bom estado e a maneira como elas são apresentadas ao cliente, isso traz uma credibilidade ainda maior”.

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), as constantes mudanças do mundo da moda e o resgate de tendências são alguns dos motivos que fazem do brechó um empreendimento atrativo para lojistas e consumidores, além de ser segmento que possibilitar ao consumidor, uma economia de até 80%.

Pedro Martins

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

3 × um =