Decisão do governo de São Paulo afeta o HFC, hospital filantrópico de Piracicaba

HFC terá redução de R$ 1,2 milhão por ano com corte do governo. (Foto: Amanda Vieira/JP)

Os hospitais filantrópicos já vivem uma situação financeira delicada devido ao enfrentamento da pandemia. A notícia de que o governador de São Paulo, João Doria cortou 12% dos repasses para a saúde piora o quadro da saúde pública. O Hospital dos Fornecedores de Cana que é filantrópico e mantém 70% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde já prevê que essa medida afetará o número de atendimentos. “Não tem como não afetar a assistência à saúde tanto em quantidade como em qualidade de serviço”, disse o presidente do HFC, José Coral.

Com o corte do governo, o HFC deixará de receber cerca de R$ 1,2 milhão por ano. “Sem receber esse valor, a situação irá agravar ainda mais o déficit do SUS que já enfrentamos há anos” explicou a superintendente do HFc, Lucimeire Ravelli Peixoto.

Segundo a resolução, o corte foi necessário diante das despesas com insumos e serviços contra a pandemia e para manter o equilíbrio das contas públicas. “É lamentável essa decisão do governador de São Paulo. Os hospitais filantrópicos já estão sofrendo para manter as contas e os atendimentos, como vamos equilibrar as contas com 12% a menos nos repasses?” questionou o presidente do HFC.

A Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes de São Paulo (Fehosp) entrou na Justiça contra a decisão do governo do estado. “Esperamos que o bom senso fale mais alto. Caso contrário teremos impactos no equilíbrio da gestão hospitalar”, concluiu a superintendente do HFC.Decisão do governo de São Paulo afeta o HFC, hospital filantrópico de Piracicaba HFC terá redução de R$ 1,2 milhão por ano com corte do governo

Os hospitais filantrópicos já vivem uma situação financeira delicada devido ao enfrentamento da pandemia. A notícia de que o governador de São Paulo, João Doria cortou 12% dos repasses para a saúde piora o quadro da saúde pública. O Hospital dos Fornecedores de Cana que é filantrópico e mantém 70% dos atendimentos pelo Sistema Único de Saúde já prevê que essa medida afetará o número de atendimentos. “Não tem como não afetar a assistência à saúde tanto em quantidade como em qualidade de serviço”, disse o presidente do HFC, José Coral.

Com o corte do governo, o HFC deixará de receber cerca de R$ 1,2 milhão por ano. “Sem receber esse valor, a situação irá agravar ainda mais o déficit do SUS que já enfrentamos há anos” explicou a superintendente do HFc, Lucimeire Ravelli Peixoto.

Segundo a resolução, o corte foi necessário diante das despesas com insumos e serviços contra a pandemia e para manter o equilíbrio das contas públicas. “É lamentável essa decisão do governador de São Paulo. Os hospitais filantrópicos já estão sofrendo para manter as contas e os atendimentos, como vamos equilibrar as contas com 12% a menos nos repasses?” questionou o presidente do HFC.

Diante desse impasse p HFC espera que essa medida seja suspensa. “Esperamos que o bom senso fale mais alto. Caso contrário teremos impactos no equilíbrio da gestão hospitalar”, concluiu Jose Coral.

Da Redação

LEIA MAIS:

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

dois × 1 =