mulher Raquel Moreno
Raquel Moreno disse que surdos diversos precisam de Libras e legendas (Foto: Claudinho Coradini/JP)

Raquel Moreno, acompanhada de familiares, amigos e colegas do curso de Libras (Língua Brasileira de Sinais), ocupou a tribuna popular, da Câmara de Piracicaba, na 24ª reunião ordinária da última quinta-feira (2).

A oradora descreveu que sem os seus aparelhos fica 100% surda, pois tem perda auditiva adquirida, sendo usuária bimodal, ao precisar de duas tecnologias para ouvir. Também destacou que os surdos diversos precisam de libras e de legenda. Além de abordar a questão da visibilidade e da valorização. “Fale de frente, fale devagar, repita, se for necessário”, recomendou.

“Gostaria de colocar que Libras é uma excelente forma de comunicação e sou feliz em morar em um país que reconhece isso como idioma oficial. É a Libras que tira muitos surdos do isolamento social. É a legenda que ajuda milhares de surdos mundo afora. No entanto, fico triste quando as pessoas confundem deficiência auditiva com Libras”, disse.

“Queremos ser conhecidos pela diferença de comunicação. Nem todos falam Libras e fazem leitura labial. Pessoas são indivíduos, todos têm suas particularidades. A maior razão é trazer consciência às pessoas, de que a diversidade surda merece respeito e atenção.”

“Cada um com sua necessidade e individualidade, mas todos com a deficiência no mesmo campo sensorial. E quem se interessa, deve saber sobre todos os tipos de deficiências que existem.”

“Sou primeiro uma pessoa, a minha deficiência é apenas parte da minha vida. Ela não me possui. Ela é apenas uma característica. Eu sou uma pessoa. Tenho feito palestras para esclarecimentos, do como foi difícil sair do armário da surdez. Sigo à disposição de vocês, porque primeiro sou uma pessoa”, concluiu a oradora.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

1 × 3 =