‘Delivery de roupas’ e vendas online para driblar a crise

Comerciantes se reinventam para atrair clientes. (Foto: Amanda Vieira/JP)

A crise gerada pela pandemia do novo coronavírus vai além da saúde. Todos os setores da sociedade foram de alguma forma atingidos. Em Piracicaba, 80% do comércio foi afetado, uma vez que somente os considerados essenciais podem funcionar, afirma o presidente da CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas), Antonio Pedro Carvalho. “Acredito que entre [funcionários] dispensados ou afastados com cortes nos salários passe de 70%”.


A empresária Ana Lucia Lovadino, por exemplo, se viu obrigada a reduzir o número de lojas de roupas. Antes da pandemia ela tinha três estabelecimentos comerciais. “Optei por ficar com os dois de maior lucratividade e concentrar nos clientes já cadastrados por meio de vendas online pelo aplicativo WhatsApp e delivery”, explica. Ela também tem investido em cursos de marketing para aperfeiçoar o negócio. “Sempre tive profissionais para cuidar dessa parte, mas como estamos enxugando [gastos], fizemos um corte bastante significativo e estou empenhada para assumir essa questão digital”.

Referência no varejo nacional e com mais de 30 colaboradores só em Piracicaba, a Pernambucanas se reinventou diante da pandemia, oferecendo combos de ofertas e frete grátis em alguns produtos. E para intensificar o relacionamento com os clientes, implantou o que chama de venda drive thru. Por meio do WhatsApp, as pessoas recebem fotos e detalhes do produto e os retiram em uma das lojas físicas, auxiliando assim os menos adeptos ao e-commerce.

“A companhia concentrou seus esforços no e-commerce da marca e o resultado foi um incremento de 1.700% no faturamento dos canais digitais em comparação com o mesmo período de 2019. Além disso, todas as categorias tiveram crescimento de, no mínimo, 350% no faturamento”, destaca o CEO da Pernambucanas, Sergio Borriello.

Para o presidente da Acipi (Associação Comercial e Industrial de Piracicaba), Luiz Carlos Furtuoso, os empresários que conseguirem maior flexibilidade quanto ao espaço locado, por exemplo, devem se recompor mais rápido. “Acho que não tem como negar que vamos ter um impacto bem representativo, até porque ninguém imaginava que ficaríamos por tanto tempo com as atividades paralisadas”.

Empresa estimula carona solidária entre os colaboradores
Mais do que aderir às recomendações da OMS (Organização Mundial de Saúde), adaptando a loja para manter o distanciamento social, colocando álcool em gel em diversos pontos e tornando o uso de máscaras obrigatório, a Casa do Construtor de Piracicaba incentiva a “carona solidária”. A iniciativa, segundo a supervisora Isabel Barbosa, evita a circulação dos colaboradores nos transportes públicos.

Com as mudanças impostas pela quarentena, a empresa também passou a estimular mais o uso de outros canais de atendimento como telefone e WhatsApp. “Antes da pandemia nossas locações eram quase totalmente presencias. O delivery já era realidade e passamos a oferecer o modelo de drive thru, entregando os equipamentos na frente na loja”, diz.

Com 240 lojas, o Shopping Piracicaba também se reinventou para manter os estabelecimentos em evidência. O centro de compras preparou um catálogo digital com opções de produtos disponíveis nos canais oficiais de divulgação. Os clientes podem acessar o site www.shoppingpiracicaba/compra-online para pesquisar, fazer contato direto com a loja e escolher a modalidade de entrega, delivery ou drive thru.

O shopping também tem apoiado os lojistas e empreendedores por meio de iniciativas como Webinars com especialistas do mercado e parcerias em soluções financeiras. “Durante a pandemia tivemos o fechamento de apenas quatro lojas, sendo que duas delas já foram repostas com a chegada das marcas Cazer e MeLinda, empreendimentos estes que já estão na fase de aprovação de projetos”, traz nota da assessoria do shopping.

Ana Carolina Leal

Especial para o JP