Dermatologista alerta sobre o risco de câncer de pele durante o verão

Dra. Larissa Catelan afirma que todos os casos de câncer da pele devem ser diagnosticados e tratados precocemente, inclusive os de baixa letalidade. (Foto: Freepik)

O mês de dezembro é conhecido por marcar o final de ano, ter as celebrações de Natal e Ano Novo, mas também é dezembro Laranja, pois existe, neste mês, uma campanha para a conscientização sobre o câncer de pele.

O câncer da pele responde por 33% de todos os diagnósticos desta doença no Brasil, sendo que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) registra, a cada ano, cerca de 185 mil novos casos.

O tipo mais comum, o câncer da pele não melanoma, tem letalidade baixa, porém seus números são muito altos. A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Essas células se dispõem formando camadas e, de acordo com as que forem afetadas, são definidos os diferentes tipos de câncer.

Para a dermatologista da rede de franquias de clínicas médicas Atende Mais, Dra. Larissa Catelan, as pessoas devem priorizar a exposição ao sol antes das 10 horas e depois das 16 horas. “Nesse período há menor radiação UVB, que provoca queimaduras, sendo o principal fator de risco para o desenvolvimento do câncer de pele. Um grande número de pessoas frequenta praias e piscinas em horários inadequados sem os cuidados necessários”, esclarece.

Todos sabem que, no verão, o uso de protetor solar é fundamental. Porém, a aplicação correta deve ser feita de 30 minutos a 40 minutos antes da exposição ao sol. A partir desse momento, é preciso reforçar a proteção com aplicações realizadas a cada três horas, principalmente em ambientes como praias ou piscinas. “Pessoas que precisam ficar em exposição ao sol durante o trabalho como carteiros e motoristas também devem adotar esses cuidados como o uso de protetor solar para evitar o câncer de pele”, aconselha a Dra. Larissa. “O uso de loções pós-solares e hidratantes adequados também é bastante benéfico, já que tais produtos evitam descamação, refrescam, hidratam, reparam e acalmam a pele que, geralmente, fica danificada após um dia inteiro de exposição ao sol”, acrescenta a dermatologista.

O excesso de areia, suor ou componentes químicos presentes nas piscinas, por exemplo, ressecam a pele de forma geral e favorecem a ocorrência de fissuras, por onde entram os microorganismos, que podem causar doenças como micose e frieira. Por isso, quando for ao clube e a praia, é importante tomar uma ducha de água fria para tirar o acúmulo de impurezas ao final do passeio, ou um banho assim que chegar em casa. Após o banho, utilizar creme hidratante, principalmente em locais onde a pele é mais seca, como nos cotovelos, pés, joelhos e mãos.

Nas horas mais quentes do dia, entre as 10 horas e às 16 horas, onde a incidência da radiação solar é mais agressiva, deve-se evitar a exposição ao sol diretamente porque nestes horários há mais riscos para a saúde. “Nestas horas o ideal é ficar embaixo do guarda-sol ou no bar da piscina para se proteger do sol e evitar a insolação, afirma Dra. Larissa.

A prevenção continua sendo o melhor caminho para se evitar o câncer de pele. Confira as recomendações da Dra. Larissa:

Bebidas alcoólicas: limite o consumo de bebidas alcoólicas. Se for consumi-las, duas doses ao dia se for homem e a uma dose se for mulher é o ideal;

Atividade física: mantenha-se fisicamente ativo por pelo menos 30 minutos todos os dias;

Suplementos alimentares: não use suplementos alimentares para se proteger contra o câncer. Tenha somente a alimentação como objetivo de alcance das necessidades nutricionais;

Gordura corporal: mantenha-se no peso ideal para sua altura;

Alimentos de origem animal: limite o consumo de carnes vermelhas e evite carnes processadas (embutidos em geral);

Amamentação: as mães devem amamentar as crianças até os seis meses;

Alimentos e bebidas que promovem o ganho de peso: evite bebidas açucaradas (refrigerantes, sucos artificiais) e limite o consumo de alimentos e bebidas de alto valor calórico;

Alimentos industrializados: limite o consumo de alimentos salgados e de comidas industrializadas com sal; Alimentos de origem vegetal: o ideal é consumir uma grande quantidade de alimentos de origem vegetal como hortaliças, frutas, cereais e grãos integrais.

Da Redação

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

11 − 3 =