Descartado caso suspeito de coronavírus em Piracicaba

Após resultado do Instituto Adolfo Lutz, caso em Piracicaba foi descartado (Crédito: José Cruz/Agência Brasil)

A Secretaria de Estado da Saúde descartou, nesta sexta-feira (28), o caso suspeito do Covid-19 (novo coronavírus) em Piracicaba. A pasta informou que segue com 66 casos suspeitos da doença. Além dos sintomas respiratórios, os pacientes têm histórico de viagem ou contato com caso suspeito.

Foram descartados laboratorialmente 15 suspeitos notificados até esta quinta-feira (27), entre eles o da mulher de 37 anos, que chegou a Piracicaba vinda de Milão no último dia 21. Outros 22 foram excluídos porque não preenchiam critério da OMS (Organização Mundial de Saúde), ou seja, não tinham febre ou não houve registro de viagem a locais de transmissão da doença. Portanto, 48 casos suspeitos permanecem sob investigação e somam-se a outros 18, incluídos no balanço desta sexta-feira.

O Estado de SP segue com apenas um caso confirmado de COVID-19, até o momento. O homem está em isolamento domiciliar, estável e bem. Trata-se de um residente da Capital que esteve na Itália em fevereiro. Retornou ao Brasil em 21 de fevereiro e apresentou sintomas suspeitos, como tosse, coriza e febre, compatíveis com a suspeita de COVID-19. Foi atendido no Hospital Israelita Albert Einstein, que fez o diagnóstico na terça-feira (25), confirmado contraprova no Instituto Adolfo Lutz, laboratório de referência nacional para análise de amostras dos casos suspeitos, conforme definição do Ministério da Saúde.

AÇÕES
Entre as ações anunciadas pelo Governo do Estado para o enfrentamento ao coronavírus está antecipação da campanha de vacinação contra gripe no Estado.


O governador João Doria (PSDB) confirmou na quinta-feira a antecipação da produção de vacinas contra gripe pelo Instituto Butantan, que será ampliada para 75 milhões de doses em 2020.


Por isso, a campanha de imunização contra a gripe em São Paulo será antecipada em 23 dias antes do prazo inicialmente planejado, começando em 23 de março.


A medida foi decidida em conjunto com o Ministério da Saúde e o Centro de Contingência do Estado de São Paulo para o novo coronavírus. O Instituto Butantan vai entregar 13% a mais de vacinas em 2020 do que no ano passado.


Doria confirmou ontem a liberação de R$ 30 milhões para ações imediatas de prevenção e combate ao coronavírus. O dinheiro será usado em uma campanha informativa de divulgação em rádio, TV e internet e também em medidas definidas por especialistas do Centro de Contingência da doença em São Paulo.


“Estamos liberando R$ 30 milhões para o programa de combate ao coronavírus, tanto para informação quanto para ação efetiva. Serão R$ 14 milhões para uma campanha para orientar os brasileiros de São Paulo sobre como se comportar, o que evitar e o que não é problema. Outros R$ 16 milhões serão para apoio operacional à Secretaria da Saúde”, anunciou Doria.

Beto Silva

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

20 − 11 =