10 pré candidatos Piracicaba

Nas eleições municipais deste ano que, excepcionalmente, acontecem em novembro, devido à pandemia do novo coronavírus, dez pré-candidatos pretendem disputar a cadeira do atual prefeito Barjas Negri (PSDB).

As pré-candidatas Adriana Sgrigneiro, a Coronel Adriana (PSL), Carolina Angelelli (PDT), Erica Gorga (Patriotas) e Nancy Thame (PV) e os pré-candidatos Adelino Francisco de Oliveira (PT), Edvaldo Brito (Avante), Francys Almeida (PC do B), José Pedro Leite (PL), Luciano Almeida (PSD), Mário Medeiros Neto (PSD) confirmaram à reportagem que pretendem concorrer ao cargo de Chefe do Executivo nas eleições municipais deste ano.

Para o professor – vereador por duas legislaturas pelo PV (Partido Verde), de 1989 a 1996, e secretário municipal do Meio Ambiente, no governo do ex-prefeito José Machado (PT), de 2001 a 2004 – , Juan Antonio Moreno Sebastianes, as eleições podem não contar com esse número de candidatos. “Durante o processo, alguns acabam sendo vice e outros decidem concorrer a vereador”, afirmou.

Ao analisar o cenário que toma forma na política municipal, Sebastianes, disse que ainda falta na disputa o prefeito Barjas Negri ou um candidato apoiado por ele. O prefeito foi questionado, via assessoria de imprensa, se pretende disputar a reeleição, mas até o fechamento desta matéria não houve retorno.

Para Sebastianes, a pandemia do novo coronavírus poderia ajudar na eventual intenção de Barjas ser candidato à reeleição, porém, em sua avaliação, a administração deixou a desejar durante o enfrentamento da doença. “[A pandemia] Poderia ter ajudado o prefeito se ele tivesse cumprido o seu papel”, avaliou.

Segundo o professor, o prefeito eleito vai encontrar muitos desafios e apontou a saúde e o enfrentamento da corrupção como os principais problemas. Ao comentar sobre o impacto da covid-19 na campanha eleitoral deste ano, ele destacou que as redes sociais serão determinantes para que os candidatos contatem seus eleitores.

Em contrapartida, Sebastianes aponta o risco da propagação de notícias falsas, os chamados fake news. “Serão vítimas dos fakes news os candidatos ou candidatas que estiverem ‘incomodando’, chamando a atenção na campanha”, afirmou.

Ainda com relação ao processo eleitoral, o professor afirmou que o eleitor deve ficar atento às campanhas milionárias. “Eu sempre desconfiei e nunca votei em candidatos com campanhas milionárias, esse candidato está comprometido com quem financia a campanha ou o dinheiro pode ser de caixa 2”, afirmou.

“Eu fui o mais votado em duas eleições, fui vereador de 1989 a 1996, e minhas campanhas foram paupérrimas”, enfatizou.

Beto Silva

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

sete − 7 =