Dia das mães com clássicos e novas experiências

A gastronomia está no DNA do chef Enzo Neto, que está há um ano à frente do Giardino

O Dias das Mães em 2020 será diferente para algumas famílias, que devido à distância por causa do isolamento social imposto pela pandemia, trocarão a reunião de domingo à mesa pelo encontro online, por meio de computadores e celulares. Mas mesmo fisicamente distantes, mães, filhos, avós e tias podem ouvir as vozes e ver as faces dos entes queridos graças à tecnologia na hora do almoço, afinal, datas comemorativas, independente de muita coisa, merecem uma refeição especial, que pode ser um clássico ou algo contemporâneo.

Para famílias que estão na mesma cidade e querem a qualquer custo celebrar o Dia das Mães em um restaurante, existe, sim, esta opção em Piracicaba. Com extremo rigor à lei para funcionar mesmo durante a quarentena, alguns estabelecimentos locais abrirão os respectivos salões neste domingo (10) com mesas afastadas ao menos 2 metros de distância uma das outras, além de todo cuidado de higienização de toda a equipe.




Dia das Mães sugere uma refeição especial, pode ser clássica ou contemporânea

Após meses fechado, o tradicional Giardino é um dos estabelecimentos que terá almoço do Dia das Mães e, para esta situação inusitada e dentro da conformidade do combate à covid-19, o chef responsável Enzo Neto mobilizou toda a equipe há uma semana antes do dia. Funcionará das 12h às 16h.

À mesa no Dia das Mães, Enzo aposta tanto nos clássicos como em preparos contemporâneos, e as massas têm protagonismo neste dia. “Massa é uma receita que aceita de tudo de acompanhamento, pode ser um frango, uma carne vermelha ou peixe. É, ainda, um preparo para todos os gostos e bolsos. Uma massa, com manteiga e sálvia, já se faz uma bela refeição”, ele destaca.

Massa com frutos do mar é um dos pratos especialidade do chef Enzo Neto

O chef também aponta a pluralidade da massa, que basta usar a criatividade para ter um prato, que pode ser simples, mas saboroso. “A pessoa pode comprar a massa seca, bate e faz como quiser. Existe apenas uma regra: o cozimento tem que ser ao dente”, completa.

Caso o almoço da família neste domingo demandar algo diferenciado, Enzo tem a receita na ponta da língua: nhoque zucca (abóbora), aliás, que será o prato especial do Giardino para este Dia das Mães e tem o toque do chef. “É um nhoque vistoso, laranja, com fios de presunto parma com pecorino e sálvia”. O preparo, ele ressalta, é autoral.

Apullar e fetucine

O visual, comenta Enzo, é super importante para o preparo de uma massa em dias especiais como o deste domingo. “Particularmente, começo o preparo de um prato com a paleta de cores. Imagino ingredientes e como podem se comunicar e combinar”.

Mas se a opção for um clássico, a sugestão do chef é o nhoque com ossobuco ou até mesmo uma pizza. “O nhoque com o ossobuco é tão tradicional que ninguém tem medo de errar ao pedí-lo no restaurante, por exemplo. A carne desfia no molho e a massa é bem marcada”.

Experiência gastronômica em dias especiais vai além da comida: é celebrar as pessoas queridas ao redor

Outro clássico, sem ser massa e que cai muito bem para o Dia das Mães, segundo Enzo, é a truta, “um peixe baixo, com sabor legal”. A sugestão do chef é servir acompanhado de cogumelos, batata, camarão, alcaparra e molho à belle morielle. “O único cuidado é para tirar todo o espinho no preparo.

O importante para a data, pondera o chef, é principalmente a experiência a ser vivida, que vai além da comida. “É reunir a família e dividir a refeição com quem gosta. Comer é um ato agrícola e social e a comida tem essa função de unir”, conta Enzo, um profissional que tem a gastronomia no seu DNA.

Sobre a relação da data com o consumo de massas, ele fala do caráter histórico afetivo entre pessoas e comida. “Massa é coisa de avó, todo mundo tem ou teve uma nona que fazia a macarronada de domingo”.

Erick Tedesco