Diego Jussani destaca o peso da camisa em sua chegada

Diego disputou a A2 com o Guarani em 2017. (Crédito: Vitor Prates)

O XV de Piracicaba apresentou na tarde de ontem (17), o zagueiro Diego Jussani, seu último reforço antes da estreia da equipe no Campeonato Paulista Série A2. Em sua chegada a equipe, o atleta falou que a força e tradição da equipe foram as principais razões para vir ao Nhô Quim. “O que me fez vir ao XV é a camisa, que é muita pesada. Me lembro quando era pequeno via o clube na Série B e brigando por títulos estaduais e isso e fortaleceu. Joguei algumas vezes contra o XV, vi a força do clube”, disse Diego, que também deu destaque aos seus torcedores. “A torcida é apaixonada, já que é um time do interior que coloca 12, 15 mil pessoas e são poucos clubes no Brasil que fazem isso e foi isso que me atraiu”, completou.

Diego tem passagens por diversos clubes tradicionais do Brasil, como Fortaleza-CE, América-MG, Guarani e Ponte Preta, mas outra razão para vir a Piracicaba é em razão da família. “Depois do fim da Série B, pensei um pouco mais em mim e na minha família, principalmente na minha filha, na minha esposa e na minha outra filha que nasceu recentemente. Queria ficar mais perto para que nós pudéssemos curtir a família, já que foram dois anos longe, já que sou se Americana”, comentou.

Recém-chegado, Diego busca seu espaço na zaga, na qual terá a concorrência principalmente da dupla de titular da temporada passada Gilberto Alemão e Douglas Marques. “Farei o meu máximo, já que temos nos dedicar nos treinamentos buscando sempre melhorar a cada dia”, disse o jogador, lembrado de alguns aprendizados em suas passagens anteriores. “Durante minha passagem no Fortaleza, aprendi com o Rogério (Ceni) que se você não se entregar ao máximo nos treinamentos, no jogo você não conseguirá desempenhar seu melhor futebol e isso mudou muito a minha cabeça de dois anos pra cá, tenho me desempenhado e está me fazendo muito bem”, explicou.

Por fim, Diego comparou os estilos de Rogério Ceni, técnico com o qual foi campeão da Série B em 2018 e Tarcísio Pugliese, atual treinador quinzista. “Fui para o Fortaleza em razão do Rogério Ceni, já que seria um ano gratificante em minha carreira, era um ídolo meu e tinha a chance de conquistar algo, como aconteceu. E quando o Tarcísio me ligou foi a mesma coisa, já que conheço caras que trabalharam com ele, falaram do perfil dele que é um cara sincero, sério, que exige muito, um cara chato já que sabe que o jogador tem que dar o seu melhor para que as coisas fluem de maneira positiva”, explicou o zagueiro, ressaltando as semelhanças e diferenças entre eles. “São muitas características parecidas, como a parte tática e treinamentos, mas de estilo diferentes, com o Rogério um pouco mais calado, e o Tarcísio já fala mais palavrões (risos), mas essa é a única diferença”, concluiu.

Mauro Adamoli

[email protected]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

14 − 12 =