Diocese retoma as missas presenciais nas 15 cidades

Em todas as celebrações vai ser necessário o controle da quantidade de fieis (Amanda Vieira/JP)

As missas nas paróquias de Piracicaba e das outras 14 cidades que compõem a região da Diocese foram retomadas na última terça-feira. As atividades foram autorizadas por meio de decreto orientando os párocos para que estejam atentos aos decretos municipais acerca da retomada das missas.

De acordo com o diretor de comunicação da Diocese, padre Anselmo Cardoso Martiniano, a orientação que estava vigente era para segurança da população, evitando eventos com aglomeração de pessoas. “A missa, querendo ou não reune milhares de pessoas em nossas cidades”, destacou.

O religioso afirmou que a quantidade de pessoas nas missas varia de 20% a 40%, dependendo da realidade do município e as orientações das prefeituras.

“Em Santa Bárbara d’Oeste por exemplo, não há decreto autorizando as missas, mas não há nenhuma restrição para a realização de missas presenciais”, apontou.

Nos municípios nos quais há decreto, fica estabelecido o controle da quantidade de pessoas, algumas paróquias orientam os fieis a fazer inscrição prévia nas secretarias, assim há possibilidade de controlar e orientar os frequentadores.

“Os horários estabelecidos para as missas são variados, por isso é importante que as pessoas se informem nas secretarias das paróquias”, observou o religioso.


Já o tempo de permanência na igreja varia, chegando ao máximo de 60 minutos. De acordo com monsenhor Ronaldo Aguarelli, pátoco da Matriz Santo Antônio de Piracicaba, as missas estão mais breves com tempo de duração entre 45 a 50 minutos. Segundo ele, as celebrações acontecem com todos os ritos.

CUIDADOS
O uso de máscara é obrigatório, higienização das mãos, e aferição da temperatura. Após as missas é orientado que seja realizado a sanitização da igreja.


“Os párocos precisam estar atentos quanto à responsabilidade social neste primeiro momento de retomada gradual das missas”, destacou o diretor de comunicação da Diocese.

Outras atividades paroquiais, como grupos de oração e terços, celebrações além das missas deverão retomar gradualmente.

Com a pandemia as paróquias iniciaram um processo de aceleração quanto ao uso das mídias sociais e internet para transmitir as atividades paroquiais. Segundo Martiniano, essas atividades remotas deverão continuar devido ao grande número de pessoas que ainda não poderão participar presencialmente. “As transmissões ao vivo foram essenciais para manter o engajamento da comunidade”, apontou.

Beto Silva