Diretor do Ponto Garapa fala de arte na pandemia e Lei Aldir Blanc

Mostra de teatro Cenas Curtas acontece até domingo no Garapa | Foto: Divulgação

A Secretaria Municipal da Ação Cultural (Semac), por meio da Lei Aldir Blanc, apresenta desde ontem, até domingo (28), a mostra de teatro Cenas Curtas. Em parceria com o Movimento Liberdade Liberdade, o projeto acontece no Ponto de Cultura Garapa (rua Dom Pedro II, 1.313, Centro), hoje e amanhã às 19h, com entrada gratuita e lugares limitados em respeito ao distanciamento social.

Neste sábado participam a Cia da Folia, com a entrada circense Lico e Leco é Universal; Carlos ABC apresentará O Guardador de Rebanhos, de Alberto Caeiro, pseudônimo de Fernando Pessoa, e Roma Produções com Transver o Mundo, com trechos de poemas de Manoel de Barros.

No domingo, encerrando a mostra, o Cammino Núcleo de Dança apresentará performance Mapa dos Sentidos, com a dançarina-intérprete Greice Arthuso; a Cia DD’Dois encenará Ela me Deixa Louco, de Alan Balbino, e Companhia Teatral Ronaumrose com O Executivo e a Morte, uma Nova Versão da Vida.

Os grupos selecionados, conta Antônio Chapéu, diretor do Ponto de Cultura Garapa, são do coletivo Liberdade Liberdade, que receberam ajuda ao longo deste período, outros ensaiam há anos no Garapa.

O Garapa quase fechou no final do ano passado. “Passamos por dificuldades, não tínhamos verba nem mesmo para o aluguel do imóvel, mas contamos com uma ação forte do Liberdade Liberdade e do Sesc Piracicaba, com quem desenvolvemos atividades em parceria, foi uma forma de pagar as contas até o começo de 2021”.

No primeiro dia da mostra participaram os coletivos Cia D’Vergente, com a cena As Mulheres de Shakespeare – Poemando Enquanto o Ônibus não Vem”; Cia Pimenta de Teatro apresentando No Xadrez, adaptado de frases de textos de Brecht e Ricardo Golveia, e o Coletivo Peneiras, com Lugar de Cantos Terrosos.

Cultura na pandemia

Chapéu aponta que a Lei Aldir Blanc, em Piracicaba, é passível de críticas dos artistas locais. “Demorou muito para sair, muita burocracia, algo bem difícil”. O diretor de teatro está ciente de que 2021 ainda será duro para o setor cultural e pede que o Poder Público se sensibilize. “E que as atividades com incentivo público possam ser realizadas de forma online, devido à pandemia”.

Apesar de tudo, Chapéu lembra da importância da arte neste momento. “Tira as pessoas de processos depressivos e de quadros ansiosos. A arte transporta a pessoa a outros mundos possíveis e mostrar que vamos sair dessa. Acalenta ao espírito”.

Mapa Virtual

Também pela Lei Aldir Blanc, a Semac lança no domingo, às 15h, no site www.memoriaviva.com, o Mapa Virtual do Patrimônio Cultural Piracicabano, que faz parte do projeto Memória Viva

Como explica a pasta, o Mapa Virtual, é um jeito “moderno” de fazer turismo cultural. “O isolamento social intensificou a necessidade de adaptar hábitos para a internet e com o turismo aconteceu o mesmo. O desenvolvimento do turismo virtual possibilitou conhecer lugares novos, visitar museus e ver exposições por meio da tela do celular ou do computador”.

Com ações mediadas pela guia de turismo nacional Julia Madeira, o projeto ofereceu duas oficinas sobre patrimônio cultural, online e gratuitas, nos dias 20 e 21 de fevereiro. O objetivo foi aproximar o tema dos moradores da cidade e estimular a participação na preservação da memória local. A partir das oficinas, foram elaborados o Mapa do Patrimônio Cultural Piracicabano e um tour virtual que serão disponibilizados no evento de lançamento.

Erick Tedesco | [email protected]

Leia mais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

sete − dois =