Diretora do CRF destaca trabalho e educação

0
95 views
Joseane tem mais de 18 anos de atuação na SAP. (Foto: SAP)

Para muitas reeducandas do CRF (Centro de Ressocialização) Feminino Carlos Sidnes de Souza Cantarelli a oportunidade de conseguir um trabalho ou terminar os estudos chegou apenas depois das grades. A nova diretora da unidade Joseane Maria Santos Leite Teixeira, assumiu a nova função, em Piracicaba, em fevereiro de 2021, no lugar da diretora Celeste Abamonte, que se aposentou.

A nova gestora vai usar seus 18 anos e oito meses de atuação em unidades prisionais da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) para desenvolver novas parcerias e oportunidades para reeducandas mesmo diante do atual cenário da pandemia da covid-19.

“Atualmente, ainda nos deparamos com o triste cenário público da pandemia, que assola mundialmente às nações e nosso Brasil, ceifando inúmeras vidas, mas darei enfoque a projetos que são passíveis de execução em nosso âmbito interno e que não dependam da presença de multiplicadores externos e fora do quadro funcional deste Centro de Ressocialização, visando assim preservar à saúde e vida das reeducandas e ao mesmo tempo, buscar o enfrentamento consciente e a prevenção ao contágio do coronavírus, de acordo com as diretrizes sanitárias dos órgãos de saúde e protocolos de nossa Secretaria”, disse a diretora.

Para a diretora, o trabalho faz parte das prioridades para a ressocialização das presas e preparação para uma nova oportunidade nas ruas.

“Essa é uma questão que, ao assumir esta direção, pude me tranquilizar, pois a gestão anterior conquistou a continuidade do desenvolvimento de atividade laborterápica para metade das internas, através da contribuição de iniciativa privada, enfatizou.

Com relação à educação, Joseane ressalta que é um direito inegável. “Todos devem ter essa oportunidade, independente de qualquer coisa ou erro, com o apontamento de que o estudo contribui de forma extremamente positiva para que as internas refaçam suas vidas, lembrando que tem papel fundamental na ressocialização. A educação é cultura, ela é intrínseca ao cidadão que a conquista e ninguém pode tirar isso de nós, pois transcende a qualquer outro domínio”, afirmou.

EXPERIÊNCIA

Joseane iniciou na SAP, em 2002 na Penitenciária I “Jairo de Almeida Bueno” de Itapetininga. Depois assumiu como titular a Diretoria do Centro Integrado de Movimentações e Informações Carcerárias. Depois, com a inauguração do CDP (Centro de Detenção Provisória) de Jundiaí, assumiu como supervisora técnica e primeira substituta do Diretor Geral. Em 2015, foi para Penitenciária de Mairinque e em seguida para a Penitenciária Feminina de Votorantim, onde permanecia até chegar em Piracicaba.

Cristiani Azanha
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

onze − dois =