Gustavo foi sepultado no sábado (Reprodução)

O exame de DNA comprovou que o corpo carbonizado dentro de uma picape, localizada em Rio das Pedras no dia 11 de março, era realmente do empresário Gustavo Henrique Diehl. O sepultamento ocorreu no sábado (4), no Cemitério da Vila Rezende. Um dos estabelecimentos da vitima, o Gu Lanches permaneceu fechado no final de semana e retomou as atividades nesta segunda-feira (6). Diehl também era sócio do Restaurante Vila Saldanha e Ice by Nice.

O delegado da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) Demétrios Gondim Coelho confirmou que o exame de DNA ficou pronto na última sexta-feira (3), onde o inquérito policial sobre o assassinato de Diehl é apurado. A Polícia Civil não informou se foi possível confirmar a causa da morte. “As investigações estão sendo conduzidas pelo Setor de Homicídios da DIG”, afirmou o delegado.

Nas redes sociais dezenas de amigos deixaram mensagens de condolências nas redes sócias. Na página da lanchonete de propriedade do empresário foi postado “O tempo nunca irá apagar a dor e a saudade da perda de um familiar tão amado, mas, com certeza, irá amenizar o tamanho da tristeza que habita em nossas vidas nesse momento. É muito difícil aceitar, mas seguiremos inspirados em seus ensinamentos e na lembrança de seu sorriso e da sua alegria. Honraremos a sua memória trabalhando com a mesma dedicação, profissionalismo e com entusiasmo, do jeito que ele sempre fez”.

O CASO

O corpo do empresário estava dentro de sua picape GM Montana, em um canavial de Rio das Pedras. Como o caso estava registrado em nome de Dieh, a Polícia Civil considerou a possibilidade de que seria o empresário e ele já estava desaparecido há várias horas. No entanto somente após a realização do exame de DNA foi possível confirmar a identidade da vítima.

Segundo o boletim de ocorrência registrado, às 13h23, na Delegacia de Rio das Pedras, um funcionário de uma usina teria localizado um incêndio no canavial, somente depois de conter o fogo percebeu que se tratava de um veículo em chamas. O incêndio foi controlado pelo Corpo de Bombeiros. A vítima estava no banco do motorista.

Na ocasião, o prefeito Barjas Negri (PSDB) deixou uma mensagem em sua página pessoal.

“Ficamos chocados com a morte violenta de nosso amigo (…), no dia de hoje. Ainda não sabemos todos os detalhes, mas queremos nos colocar à disposição da família, nesse momento de dor e desespero. Nossos sinceros sentimentos”, escreveu Barjas.

Na época, uma amiga do comerciante, que pediu para ter a identidade preservada, disse que a última vez que conversou com ele foi às 10h da segunda-feira (11 de março). “Ele me disse que iria para casa apenas para tomar um banho e retornaria ao restaurante. Depois conferi que a última vez que ele olhou o WhatsApp foi às 11h18. Por volta das 12h30 a esposa dele passou a ligar, mas não conseguia falar com ele. Nós ficamos em pânico”, desabafou a amiga.

Cristiani Azanha

[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

3 × cinco =