Papa Francisco aceitou a renúncia de Dom Fernando Masson, pela idade, e nomeou Dom Devair bispo. / Foto: Divulgação.

O novo bispo da Diocese de Piracicaba, nomeado ontem pelo Papa Francisco, é Dom Devair Araújo da Fonseca, até então bispo titular de Uzali, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo e Vigário Episcopal da Região Brasilândia. Deviar será o sexto bispo diocesano local.

Dom Devair assumirá no lugar de Dom Fernando Mason., que pediu renúncia por motivo de idade, 75 anos, sendo aceita pelo pontífice em Roma. A posse acontecerá no dia 16 de janeiro de 2021, às 9h30, em local a ser definido e divulgado em breve pela Diocese de Piracicaba. Dom Devair é natural de Franca, interior de São Paulo, e nasceu em 1º de fevereiro de 1968. A sua ordenação Presbiterial aconteceu em 20 de dezembro de 1998 e, a Episcopal, dia 1º de fevereiro de 2015.

Diretor de comunicação da Diocese de Piracicaba, padre Anselmo Cardoso Martiniano afirma que receberam a notícia “com alegria”. “Será um novo tempo e já estamos ansiosos para receber dom Devair. Somos, claro, gratos pelos 16 anos em que dom Mason esteve à frente da nossa Diocese”. Martiniano revela que dom Devair virá pela primeira vez a Piracicaba nas próximas semanas.

A Diocese com dom Devair como bispo “muda muita coisa”, ressalta o padre. “Será como um novo governo. Permanecem nos respectivos cargos o ecônomo, o vigário judicial e o chanceler do bispado. Os demais tanto podem mudar como permanecer, dependerá do novo bispo”.

O Jornal de Piracicaba foi o primeiro veículo da imprensa local a conversar como o novo bispo da Diocese. De sua residência, em São Paulo, Dom Devair conta que pisará pela primeira vez em Piracicaba, que só conhece por nome. O religioso destaca o duplo desafio – acomodar-se em uma nova cidade e ser bispo diocesano. “A primeira ação será conhecer a realidade da Diocese. É preciso saber que se trata de uma igreja com história, então terei que compreender este histórico e seguir em frente”.

Além disso, Dom Devair tem o desafio de conduzir o bispado em Piracicaba em meio à crise da covid-19. “A pandemia trouxe para nós, da Igreja Católica, situações como a necessidade de recriar e aperfeiçoar a maneira de se comunicar com a sociedade. A Igreja não é uma ONG, existe para anunciar o Evangelho, e tem um compromisso social”.

Erick Tedesco
[email protected]

LEIA MAIS:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

19 − 9 =