Dor de dente? Procure um endodontista

“A novidade é o uso de instrumentos rotatórios que dispensam as antigas limas” (Foto: Amanda Vieira)

O Dia Mundial de Saúde Bucal é celebrado no próximo dia 20 de março e foi instituída pela Federação Dentária Internacional, com intuito de diminuir os índices de cárie, doenças periodontais e perda dos dentes. Para reforçar este movimento, a dentista Daniela Zambom fala sobre a endodontia, uma especialidade da odontologia voltada para o tratamento dos canais radiculares que ficam dentro das raízes dos dentes.

De acordo com ela, o tratamento de canal pode ser realizado tanto em crianças, quanto em adolescentes onde ainda não há uma completa formação das raízes dos dentes e, sobretudo, em adultos com raízes completamente formadas que tiveram essa necessidade por motivo de cárie, doenças de gengiva ou por necessidades protéticas.

“E é exatamente por isso que enfatizamos que todos devem ter muita atenção e cuidado com a saúde bucal, haja vista que quando se fala em problemas nos canais radiculares estamos falando de dor, muita dor, que pode levar o paciente a um completo descontrole, cessando somente com a associação de analgésicos, anti-inflamatórios e/ou antibióticos e com a fundamental intervenção do cirurgião-dentista”, explica Daniela.

No decorrer da vida os dentes estão sujeitos a todos os tipos de injúria, incluindo aqui o traumatismo dental, ou seja, acidentes em que acontecem por bater os dentes, abalando sua estrutura e seus tecidos de suporte. “Uma vez ocorrido esse trauma e constatado com exames clínicos e radiográficos, faz-se necessário, na maioria das vezes, o tratamento dos canais dos dentes, em que o endodontista tira a vitalidade do dente doente e preenche o interior dos canais com um cimento e material adequado para que não haja dor e, assim, o dente possa ser mantido na cavidade bucal, evitando extração e restabelecendo suas funções estéticas e mastigatórias”, enfatiza.

“No meu consultório realizamos os tratamentos de canal com instrumentos rotatórios, quase dispensando as antigas limas, conhecidas pelos pacientes como ‘agulhinhas’. Utilizamos de microscópio e lupas que proporcionam alta magnificação com visão aumentada do campo operatório, sempre sob anestesia local e com todos os cuidados para que o cliente se sinta seguro e confortável”, informa a dentista ao dizer ainda que proporcionamos ao dente que está sendo tratado a completa descontaminação dos canais acometidos por infecções bacterianas.

No caso de crianças cujos dentes não estão completamente formados, quando um dente tem indicação de tratamento de canal por ocasião de um traumatismo dental é preciso realizar o procedimento ou uma terapia bastante nova e em estudo chamada de Revascularização Pulpar, em que é induzida a formação de uma “nova polpa” dentro do dente, por meio de um pequeno sangramento intencional, sem que seja feito o tratamento de canal convencional. Se essa opção for a escolhida é preciso acompanhamento ao caso por meio de análise clínica, radiográfica, além de testes térmicos para mensurar a sensibilidade e reação do paciente.

“Faz-se necessário uma integração entre profissional e paciente em todos os tipos de tratamentos odontológicos, fato que não é diferente na endodontia. O tratamento de canal é efetivo, rápido e tem resultados satisfatórios quando realizado com técnica adequada, por profissional habilitado e dentro de padrões de assepsia rígidos”, enfatiza Daniela.

Para que a situação não se agrave, por que dor de dente ninguém merece, vale lembrar visitas periódicas ao seu dentista são imprescindíveis como conduta de prevenção a todos os tipos de doenças da boca.

Fernanda Moraes