É seguro dizer que a Pandemia e a quarentena aumentarão os índices de obesidade?

Governos do mundo inteiro buscam as estratégias mais eficazes para diminuir a proliferação do Covid-19 e a mais usada tem sido o distanciamento social e isolamento social sendo que em alguns lugares do mundo até lockdown ou fechamento total de serviços nos setores públicos e privados foi usado. Estes tipos de estratégias foram as mais usadas pelos governantes no mundo. No entanto será que o isolamento social na tentativa de conter a proliferação do vírus foi tão efetivo assim? Sabemos de pelo menos duas consequências destas estratégias: a primeira foi uma crise econômica nunca antes vista na historia da humanidade, com aumento de falências e desempregos. A outra, a piora da saúde psicossocial que pode acarretar em problemas e aumento de doenças relacionadas a inatividade física.

Segundo o estudo recente que saiu na Revista “Nature Reviews Endocrinology” intitulado “Will de COVID-19 pandemic worsen the obesity epidemic” mostrou dados alarmantes dos efeitos deste isolamento no aumento da obesidade no mundo inteiro. O isolamento social somado ao distanciamento social ocasiona uma alteração dos níveis de estresse gerando mudança no comportamento alimentar e desta forma alterando o equilíbrio entre o que você consome e o que você gasta de energia aumentando os índices de obesidade. Estas alterações levaram ao aumento da resistência à insulina, aumento de casos de hipertensão e aumento dos percentuais de gordura corporal. Isso segundo o mesmo estudo elevou os casos de diabetes, doenças cardiovasculares e doenças vasculares, tudo isso relacionado ao isolamento social.

Talvez esta estratégia feita pelos governantes tenha servido para o controle epidemiológico do vírus, mas que por outro lado pode ter gerado graves problemas na população mundial ao promover também a obesidade e doenças metabólicas pela falta de atividade física, levando desta forma também a milhares de mortes pelo mundo decorrentes disso.

Uma nova estratégia deverá ser usada pelos governantes ao mesmo tempo que se deve ter o cuidado com a proliferação do vírus: a de políticas públicas de saúde para frear este avanço desta epidemia de obesidade e com isso, a prevenção de doenças metabólicas e a diminuição do número de mortes relacionadas a obesidade. Ficar ativo se torna muito importante neste quesito, cada um fazendo sua parte no cuidado a não propagação do vírus e ao mesmo tempo com o cuidado com a própria saúde. A mensagem é: fique ativo e continue ativo. Até a próxima!