Educação busca ‘protocolo’ seguro para alunos e educadores para retomada das aulas presenciais

Prefeitura divulga hoje, em coletiva, regras e cuidados para retorno das aulas presenciais na rede municipal | Foto: Guilherme Leite

Em meio ao aumento de casos da covid-19 no país e a chegada do início do período letivo para as escolas, a rede municipal avalia possível retomada das aulas presenciais. Conforme afirmou o titular da SMS (Secretaria Municipal de Saúde), Filemon Silvano, em reunião com vereadores na última sexta-feira (15), tanto a pasta da Saúde quanto da Educação devem avaliar esse cenário para que exista “um protocolo seguro para alunos e educadores”.


Nesta terça-feira (19) em coletiva de imprensa no Centro Cívico, a SME (Secretaria Municipal de Educação) vai apresentar o protocolo para retorno às aulas presenciais na rede municipal para 2021. De acordo com o CCS (Centro de Comunicação Social) da prefeitura, o prefeito Luciano Almeida (DEM) se reuniu com o grupo de trabalho da covid-19 no fim da tarde desta segunda-feira (17) para avaliar e discutir a retomada das aulas presenciais e definir protocolo.

LEIA MAIS:


Ainda na reunião de sexta-feira, o secretário afirmou que o prefeito havia ligado a ele “vendo a possibilidade de, antes de voltarem as aulas, testarmos todos os professores e profissionais que trabalham nas unidades de ensino. Temos que ter uma conversa séria, para que haja um protocolo seguro para alunos e educadores”, conta.


O sub-secretário da saúde, Augusto Muzilli Júnior, também participou da reunião e avaliou que a situação da covid-19 entre crianças na cidade está “extremamente preocupante, com seis internadas na Santa Casa [até aquele dia]”. “Porém, a criança hoje está depressiva dentro de casa, viciada em videogame, e para os pais que precisam sair para trabalhar está havendo outro problema. Sou a favor da volta, respeitando o distanciamento, dividindo a sala em fragmentos. Estou extremamente preocupado com essa situação”, avalia.


Entre os vereadores, há opiniões distintas sobre a retomada ou não das aulas presenciais. Thiago Ribeiro (PSC) considera preocupante, “ pois a criança muitas vezes é assintomática, mas corre o risco de contaminar as pessoas em sua residência”.


Já Pedro Kawai (PSDB) a considera necessária. “Temos que ter um cuidado muito grande com todos os profissionais nessa volta, que na minha opinião é necessária”, diz.

Andressa Mota

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

2 × quatro =