Educação confirma professor positivado na escola estadual Mello Ayres

Professor positivado na escola estadual está em quarentena, em casa | Foto: Divulgação

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo confirmou ao Jornal de Piracicaba mais um caso de servidor público na cidade que testou positivo para a covid-19. Um professor da escola estadual Professor Elias Mello Ayres, no bairro São Dimas, está positivado e, como ressalta a assessoria da pasta em nota, encontra-se em quarentena em casa. No dia 12 de fevereiro, o Estado confirmou o primeiro caso na rede, que aconteceu no Professor Jethro Vaz de Toledo, no bairro Itapuã.

O Estado, no entanto, informa que não tem o número exato de professores da rede em Piracicaba que foram positivados desde o retorno das aulas presenciais, em 8 de fevereiro. “As notificações de casos de covid-19, assim como de óbitos, são de responsabilidade da área de Saúde, que tem o controle das notificações. Os casos confirmados e sob suspeita são acompanhados por meio do Simed(Sistema de Informação e Monitoramento da Educação para Covid-19) da secretaria de Educação do Estado de São Paulo”.

Na mesma nota, a secretaria ressalta que “todas as unidades escolares seguem os protocolos das autoridades da área da saúde e estão em funcionamento, garantindo a segurança de professores, servidores e alunos”.

Segundo a pasta, o caso do professor positivado no Mello Ayres não muda a dinâmica das aulas na unidade. Os alunos estão em aula remota por meio do Centro de Mídias SP e retornarão hoje às atividades presenciais, “pois a unidade está cedendo espaço para reaplicação do Enem nos dias 23 e 24”, finaliza a nota.

A reportagem pediu um balanço para a Secretaria Municipal da Educação sobre os casos de servidores da rede positivados neste período, no entanto, não obteve resposta.

ENSINO PARTICULAR

Mesmo com o aumento de casos de professores positivados da covid-19 em Piracicaba e no estado,Benjamin Ribeiro da Silva, presidente do SIEEESP (Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino no Estado de São Paulo), pondera que a rede particular está segura e apta para a continuidade das aulas presenciais.

“Todos os casos que aconteceram até agora foram autóctones, isso é, não foram infectados na escola e sim vieram infectados para a escola. Não tem melhor lugar para a criança do que a escola, mesmo ficando em casa os casos que temos relatados vieram de fora pra dentro das escolas, é muito mais seguro que o shopping, restaurante, mercado, praia, o transporte público, a colônia de férias etc,”, ele opina.

Erick Tedesco | [email protected]

Leia mais

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

5 × 3 =