Curso ficará abrigado no Bloco 6, que foi reformado e oferece boas instalações (Foto: Amanda Vieira/JP)

A autorização para a implementação do curso de Direito na EEP/Fumep (Escola de Engenharia de Piracicaba/Fundação Municipal de Ensino de Piracicaba) foi confirmada em publicação na edição de quarta-feira (17) do Diário Oficial do Estado de São Paulo. A nova disciplina a ser oferecida na instituição, revela o diretor executivo, Antônio Carlos Giuliani, terá duração de cinco anos e, ao menos no primeiro ano, terá vestibular com 160 vagas, sendo 80 no período diurno e outras 80 no período noturno.

O curso será implementado por meio de convênio com a Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, ligada à USP (Universidade de São Paulo). Como revela o presidente do Conselho de Curadores da Fumep, Mauro Rontani, docentes de lá devem vir a Piracicaba para ajudar na montagem da grade curricular, por exemplo. “Tenho certeza que o Direito da EEP será, em pouco tempo, referência na área pela região”, ele afirma. O coordenador do convênio é o assessor jurídico da Fumep, o doutor Ediberto Diamantino.

Rontani ainda aponta que a autorização é positiva, do ponto de vista da inovação, e atende a necessidades e expectativas de Piracicaba e região ao agregar mais um curso na área de humanas. “O novo curso primará pela qualidade em todos os aspectos”.

O professor doutor Raul Freitas, de Ribeirão Preto, complementa que o convênio entre EEP e USP prevê também apoio na formatação do perfil dos professores, “respeitando-se a autonomia e as formalidades adotadas pela Fumep”.

A expectativa de Giuliani é que o curso possa ser oferecido já a partir de 2021, mas ele evita precisar uma data. “Por conta da pandemia da covid-19, mas será no ano que vem, não sabemos se no primeiro semestre ou meio do ano”.

O diferencial, explica o diretor executivo, é o foco no Direito Empresarial. “Pelo crescimento das empresas do setor do agronegócio e automobilístico, que demandam profissionais com esta formação mais acentuada”. No entanto, o curso terá uma grade ampla, em que o aluno transitará por outras áreas, como o Trabalhista, Tributário, Civil e Criminal. “Até por isso será um curso de cinco anos de duração”, enfatiza Giuliani.

O curso também já tem o espaço físico definido. “Será no Bloco 6, que foi reformado para as instalações”, revela o diretor. Um dos laboratórios é um Juri Fictício, que simula um tribunal de verdade. Imediato à deliberação publicada no Diário Oficial, o conselho e a diretoria da EEP/Fumep começam a pensar nos docentes para cada disciplina, que como conta Giuliani será por meio de concurso público, e a montagem da grade em si. “Começamos a fazer a legislação do curso, a pensar o processo seletivo”, ele complementa.

Erick Tedesco

2 COMENTÁRIOS

  1. Espero que também sejam reservadas algumas vagas para portadores de diplomas superior, sem necessidade de novo vestibular, uma vez que atualmente Direito é necessário para manutenção e progressão em muitas carreiras e profissionais que já estão no mercado tem condições de arcar com os custos de novos estudos e compromisso de concluir.

  2. Quero saber se serao reservadas algumas vagas para portadores de diplomas superior, sem necessidade de novo vestibular? Se poderemos solicitar equivalência de estudos de algumas disciplinas feitas em 1 ou 2 cursos universitários? Se a resposta for ” sim” vou me matricular.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

6 − 2 =