Elas também sabem te fazer sorrir

Foto: Thiago Naia

Fernanda e Bruna contam como entraram nesse mundo do humor que é predominantemente masculino

Ainda é novidade para muitos homens que as mulheres podem ser engraçadas, as vezes, mais até que os próprios homens. A mulher na comédia não é de hoje, mas devido ao machismo ainda é uma luta de se colocar no mercado e ter uma ascensão. Assim é a vida da médica veterinária, Fernanda Arantes, guarulhense, de 28 anos, que viu o humor pulsar mais forte em seu sangue a fazendo migrar para a área do Stand-Up, como contou ao participar do programa global ‘Simples Assim’, comandado por Angélica.

De acordo com a humorista, que também é uma das alunas da Escola de Atores Wolf Maya (uma das melhores escola de atuação no Brasil e lar de grandes comediantes), ela já se apresentou nas principais casas de comédia do Brasil, como ‘Comedians’, ‘Clube do Minhoca’, ‘Hilarius’ e ‘Interiorano’.

Fazer carreira na comédia não é fácil o ‘show business’ é um mundo de altos e baixos que se não se esforçar diariamente, pode acabar falindo. “Essa migração foi difícil como qualquer mudança. É complicado você tomar decisões quando durante toda sua vida você foi ensinada a seguir padrões como ter uma profissão segura, filhos e ser feliz só quando se aposentar. Todo dia é um processo de conscientização sobre o que é importante para mim e não para a sociedade”, revelou Fernanda que largou sua antiga profissão já bem estabelecida para encarar o mundo a comédia, pois é sua paixão.

De acordo com a humorista, para ir em busca do seu sonho foi preciso aceitar sua verdadeira vontade, criando assim um plano para que o hobby se tornasse profissão e transpondo a barreira de que a mulher fazendo comédia é algo ruim. E de lá para cá na profissão, um dos momentos mais marcantes de sua jornada foi a estreia do seu solo ‘Virando a chave’. “Ver pessoas saindo de casa para ouvir o que eu tinha a dizer foi uma experiência surreal”, finalizou Fernanda.

Fernanda não é o único exemplo de troca de carreiras e esforço feminino. Outra mulher brasileira comediante é a humorista Bruna Braga, paulista, de 27 anos. Também formada em fotografia e design de moda e atuou na área por quatro anos.

Assim como Fernanda, Bruna precisou ser forte e ter muita paixão para conseguir entrar no entretenimento. “Foi pela vontade de dizer algo em alto e bom som. Ser vista para ter a minha fala válida e me sentir útil podendo afetar positivamente as pessoas, além de ver no humor a minha própria salvação”, explicou.

Além de comediante Bruna, também trabalha como roteirista e já escreveu para programas como ‘Dani-Se’, comandado pela atriz e comediante, Dani Calabresa; no GNT, para o Prêmio Multishow 2020 e esteve nas últimas três temporadas de Stand-up do Comedy Central. Contratada pela Rede Globo, ela se prepara para novos projetos. “Meu objetivo é atingir pessoas e fazê-las entender que humor não é só sobre graça ou piada, mas sobre estado de espírito. Quero ajudar a elevar esse sentimento, trazer alguma reflexão se possível”, pontuou comediante.

Bruna ressalta ainda que ser uma humorista requer passar por um processo de autoconhecimento. “Amo o que eu faço e eu não sei mais viver sem. As maiores dificuldades inicialmente são as financeiras, depois enfrentar o machismo e o racismo do meio. Infelizmente existe um número de comediantes majoritariamente masculino e branco e as coisas acabam sendo como na sociedade: pouco espaço para muita luta”.

Larissa Anunciato

[email protected]

LEIA MAIS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

dezoito − 7 =