Eliminado em simples, Thiago Monteiro se redime e avança nas duplas em Melbourne

Foto: Reprodução Instagram

A quinta-feira foi intensa para o brasileiro Thiago Monteiro no Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam da temporada. Poucas horas depois de amargar a eliminação em simples na segunda rodada, superado pelo russo Andrey Rublev, o tenista cearense Thiago Monteiro deu a volta por cima. Ao lado do australiano John Millman, ele passou pela estreia na chave de duplas, batendo os argentinos Diego Schwartzman e Federico Coria por 2 sets a 0 – com parciais de 7/6 (7/5) e 6/1.

Na segunda rodada, Monteiro e Millman terão um duro desafio pela frente. Os dois irão encarar os irmãos britânicos Ken e Neal Skupski, que fizeram valer a condição de cabeças de chave 16 na estreia e derrotaram o canadense Felix Auger-Aliassime e o polonês Hubert Hurkacz também por 2 sets a 0, com placar final de 6/3 e 6/2.

“Nós jogamos bem. Eu estava um pouco cansado, mas consegui jogar bem e solto. O Millman também, ele é um jogador muito firme. Estou muito feliz com a vitória, dá uma quebrada nesse gostinho da derrota em simples. Continuo vivo no Grand Slam e agora é se preparar para o segundo jogo, pensando na vitória. É buscar aproveitar a oportunidade e agregar o aprendizado no meu jogo de simples também”, disse o brasileiro.

A campanha na chave de simples em Melbourne foi a melhor de sua carreira em Grand Slams, o que dá muita confiança para a sequência da temporada. “É um jogo que saio positivo e com confiança. Foi uma boa gira aqui na Austrália, fiz uma semi e uma segunda rodada contra um cara que está numa grande fase. Agora é pegar essa energia toda e levar para a temporada para buscar novos objetivos”, afirmou Monteiro, que busca disputar mais torneios do nível ATP e terminar o ano perto do Top 50 do ranking.

Depois de passar o período de 14 dias de quarentena em um quarto de hotel de Melbourne, medida imposta pelo governo do Estado de Vitória, onde fica a cidade, por causa da pandemia do novo coronavírus, o tenista brasileiro, que é o 74.º do mundo, disputou um ATP 250 na semana passada e chegou até as semifinais E nesta semana avançou até a segunda rodada do Aberto da Austrália.

Outro brasileiro também fez a sua estreia na chave de duplas em Melbourne. Mas ficou pouco tempo em quadra – apenas três games em 14 minutos – para conseguir avançar. Cabeças de chave número 7, Marcelo Melo e romeno Horia Tecau venciam os sérvio Filip Krajinovic e Dusan Lajovic por 3/0, quando Krajinovic decidiu abandonar precocemente a partida.

Durante a rápida apresentação, Melo e Tecau conseguiram uma quebra de serviço e só perderam um ponto no saque. Os próximos adversários serão o moldávio Radu Albot e o britânico Daniel Evans, que venceram o argentino Andres Molteni e o monegasco Hugo Nys por 2 sets a 0, com parciais de 6/2 e 6/3. “Estávamos prontos para fazer um bom jogo. Vamos aproveitar para seguir com os treinos e ir com tudo na próxima partida”, afirmou o brasileiro.

Aos 37 anos, Marcelo Melo faz a sua 13.ª participação no Aberto da Austrália. Seu melhor resultado foi a semifinal de 2015, ao lado do croata Ivan Dodig. O mineiro está jogando temporariamente ao lado de Tecau, já que seu novo parceiro, o holandês Jean-Julien Rojer, não viajou a Melbourne para acompanhar o estágio final de gravidez de sua esposa.

FEMININO – Única brasileira em ação no Grand Slam, a paulista Luisa Stefani começou bem a sua participação no torneio. Ao lado da americana Hayley Carter, ela superou bem a estreia derrotando as casaques Elena Rybakina e Yaroslava Shvedova por 2 sets a 0 – com parciais de 6/4 e 6/3, depois de 1 hora e 9 minutos.

“Ótima estreia, muito feliz. Primeira rodada nunca é fácil e sempre é bom passar por ela. Estava bastante vento dos dois lados e fiquei satisfeita em como lidamos com as condições. Jogamos muito bem os games de serviço e fomos bem taticamente. Conhecemos bastante as adversárias, pois desde que voltamos da quarentena, em agosto passado, as enfrentamos em várias primeiras rodadas. No final elas até brincaram dizendo que só vão parar de jogar contra quando elas ganharem (risos). Então, espero, que continue assim”, detalhou a brasileira.

Cabeças de chave 12, Stefani e Carter terão pela frente a parceria da espanhola Paula Badosa com a montenegrina Danka Kovinic, que enfrentaram na primeira rodada as japonesas Misaki Doi e Nao Hibino e venceram em três sets – com parciais de 6/2, 4/6 e 10 a 6 no match tie-break.

Se a brasileira e a americana vencerem, já repetirão o resultado do ano passado em Melbourne. O melhor desempenho da parceria em Grand Slams foi as quartas de final do US Open em 2020. “Estamos preparadas para a próxima rodada contra mais duas simplistas. É aproveitar o embalo e a confiança de hoje (quinta-feira)para o próximo jogo”, completou Stefani.

Fonte: Agência Estado

LEIA MAIS:

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite o seu comentário!
Por favor, entre com seu nome

três − 1 =