Em 1 ano, 10º Baep prende 314 pessoas e apreende 500 kg de drogas

Comandante Souza destaca o combate contra o crime organizado (Claudinho Coradini/JP)

O 10º Baep (Batalhão de Ações Especiais de Polícia) fechou o primeiro ano de atividade com 314 presos, dos quais 41 deles são membros da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). Foram apreendidos 481kg de drogas e 48 armas (metralhadoras, pistolas e revólveres). No período A criação do Batalhão ocorreu por meio do Decreto 64.413, de 26 de agosto de 2019, assinado pelo governador João Dória (PSDB).

O comandante do 10º Baep, tenente-coronel Fernando Aparecido de Souza enfatizou, que por conta das restrições impostas pela pandemia da covid-19 e em respeito às 28.912 pessoas que, infelizmente, perderam suas vidas para a doença no Estado de São Paulo, não haverá nenhuma solenidade em comemoração ao aniversário do Batalhão. Além do combate ao crime organização, o efetivo, assim como as demais forças de segurança também atuam contra o inimigo invisível. Do total de aproximadamente 200 policiais que atuam no 10º Baep, 28 policiais foram positivados para a covid-19 e cinco deles precisaram ficar internados, mas precisaram ficar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Todos já retornaram às atividades.

“Neste um ano de atividades, não podemos deixar de agradecer a todos os policiais, que em nenhum momento se acovardaram diante das batalhas que enfrentamos em diversas situações. Assim como as famílias de nossos policiais. Nesse momento difícil que o mundo inteiro vive, os policiais, assim como os profissionais da saúde estão trabalhando”, disse o comandante.

10º Baep atua nas 52 cidades da região (Claudinho Coradini/JP)

10º BAEP

O efetivo do 10º Baep atua nos 52 municípios, que fazem parte do CPI-9 (Comando de Policiamento do Interior). Atualmente, Piracicaba ocupa a segunda maior demanda dos munípios, atrás de Sumaré e na frente de Americana.

Souza disse ainda que a prisão de foragidos da Justiça está entre às prioridades do Batalhão. “Também atuamos em roubos na região. Realizamos o apoio à outros batalhões e na ações com o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) do MP (Ministério Público)”, comentou o comandante. “Um das atribuições do Baep é o combate ao crime organizado, com enfoque na inteligência policial. Atuamos com as informações e depois no apoio ao MP e Judiciário”, afirmou.

POPULAÇÃO

Além do atendimento às ocorrências consideradas de maior gravidade, os policiais também atuam em algumas solicitações da comunidade.

Na tarde desta terça-feira, o Baep esteve em uma casa, no bairro Perdizes, em Piracicaba, onde um homem alcoolizado estava em sua residência, extremamente agressivo com os familiares. Como os policiais não sabiam se ele tinha algum tipo de arma, os policiais foram acionados e fizeram a sua imobilização após o uso de arma de choque e depois conduzido à uma unidade de saúde.

 

Cristiani Azanha

[email protected]